EVOÉ BACO!!!

BEM-VINDO AO BACANAL DAS ARTES!

UM CANAL PARA INTERAÇÕES, DISCUSSÕES, INDICAÇÕES DE TRABALHOS ARTÍSTICOS, CURIOSIDADES E AFINS...

COMENTEM E INTERAJAM!!!

ps: A imagem de apresentação do Blog foi criada por MARCIO BENVENUTO. Cada letra do nome do blog é formada por uma imagem corporal feita por dois artistas de nomes desconhecidos.

30 de nov de 2010

5ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos acontece em 20 capitais brasileiras - MA

Em São Luís, com a produção do cineasta e professor Francisco Colombo, a 5ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos será realizada no Cine Praia Grande e apresentará atrações inéditas nos quesitos exibição e participação do público.

Esse ano a mostra chega a 20 capitais, sendo a única no país que alcança todas as regiões. O evento será realizado entre 29 de novembro e 05 de dezembro, no Cine Praia Grande As sessões serão no período vespertino e noturno, com entrada franca. Vale destacar que todos os filmes são legendados (e portanto voltados para o público com deficiência auditiva) e teremos ainda duas sessões com audiodescrição (uma aberta e outra fechada) para pessoas com deficiência visual. Os
filmes, diferentemente do que alguns possam imaginar, não possuem caráter panfletário, tendo sido escolhidos para integrar a mostra sobretudo pelo valor artístico.

Onde: Cine Praia Grande / Centro de Criatividade Odilo Costa Filho -
Rampa do Comércio, 200 - Praia Grande
(capacidade 111 Lugares). Telefone: (98) 3218-9934
Quando: de 29 de novembro até 05 de dezembro de 2010.
Sessões: vespertinas e noturnas.São Luís - MA.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

ENTRADA FRANCA

29/11 – SEGUNDA-FEIRA

19h30 - Sessão de Abertura

VIDAS DESLOCADAS
João Marcelo Gomes
(Brasil, 13 min, 2009, doc)
PERDÃO, MISTER FIEL
Jorge Oliveira
(Brasil, 95 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 14 anos

30/11 – TERÇA-FEIRA

13h30 - A VERDADE SOTERRADA
Miguel Vassy
(Uruguai/ Brasil, 56 min, 2009, doc)

ROSITA NÃO SE DESLOCA
Alessandro Acito, Leonardo Valderrama
(Colômbia/ Itália, 52 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

15h30 - ENSAIO DE CINEMA
Allan Ribeiro
(Brasil, 15 min, 2009, fic)

108
Renate Costa
(Paraguai/ Espanha, 91 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

17h30 - A BATALHA DO CHILE II –

O GOLPE DE ESTADO
Patricio Guzmán
(Chile/ Cuba/ Venezuela/
França, 90 min, 1975, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

19h30 - ABUTRES
Pablo Trapero
(Argentina/ Chile/ França/
Coréia do Sul, 107 min, 2010, fic)
Classificação indicativa: 16 anos

01/12 – QUARTA-FEIRA

13h30 - Audiodescrição
AVÓS
Michael Wahrmann
(Brasil, 12 min, 2009, fic)

ALOHA
Paula Luana Maia, Nildo Ferreira
(Brasil, 15 min, 2010, doc)

CARRETO
Marília Hughes, Claudio Marques
(Brasil, 12 min, 2009, fic)

EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO
Daniel Ribeiro
(Brasil, 17 min, 2010, fic)
* Sessão com audiodescrição para
público com deficiência visual.
Classificação indicativa: 12 anos

15h30 - HÉRCULES 56
Silvio Da-Rin
(Brasil, 94 min, 2006, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

17h30 - DIAS DE GREVE
Adirley Queirós
(Brasil, 24 min, 2009, doc)

PARAÍSO
Héctor Gálvez
(Peru/ Alemanha/
Espanha, 91 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 12 anos

19h30 - CARNAVAL DOS DEUSES
Tata Amaral
(Brasil, 9 min, 2010, fic)

MEU COMPANHEIRO
Juan Darío Almagro
(Argentina, 25 min, 2010, doc)

LEITE E FERRO
Claudia Priscilla
(Brasil, 72 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 16 anos

02/12 – QUINTA-FEIRA

13h30 - Audiodescrição
PRA FRENTE BRASIL
Roberto Farias
(Brasil, 105 min, 1982, fic)
* Sessão com audiodescrição para
público com deficiência visual.
Classificação indicativa: 14 anos

15h30 - A CASA DOS MORTOS
Debora Diniz
(Brasil, 24 min, 2009, doc)

CLAUDIA
Marcel Gonnet Wainmayer
(Argentina, 76 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 14 anos

17h30 - ALOHA
Paula Luana Maia, Nildo Ferreira
(Brasil, 15 min, 2010, doc)

AVÓS
Michael Wahrmann
(Brasil, 12 min, 2009, fic)

CINEMA DE GUERRILHA
Evaldo Mocarzel
(Brasil, 72 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

19h30 - KAMCHATKA
Marcelo Piñeyro
(Argentina/ Espanha/
Itália, 103 min, 2002, fic)
Classificação indicativa: livre

03/12 – SEXTA-FEIRA

13h30 - DOIS MUNDOS
Thereza Jessouroun
(Brasil, 15 min, 2009, doc)

AMÉRICA TEM ALMA
Carlos Azpurua
(Bolívia/ Venezuela, 70 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

15h30 - VLADO, 30 ANOS DEPOIS
João Batista de Andrade
(Brasil, 85 min, 2005, doc)
Classificação indicativa: 14 anos

17h30 - A HISTÓRIA OFICIAL
Luis Puenzo
(Argentina, 114 min, 1985, fic)
Classificação indicativa: 12 anos

19h30 - XXY
Lúcia Puenzo
(Argentina/ França/
Espanha, 86 min, 2006, fic)
Classificação indicativa: 16 anos

04/12 – SÁBADO

13h30 - MÃOS DE OUTUBRO
Vitor Souza Lima
(Brasil, 20 min, 2009, doc)

JURUNA, O ESPÍRITO DA FLORESTA
Armando Lacerda
(Brasil, 86 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

15h30 - HALO
Martín Klein
(Uruguai, 4 min, 2009, fic)

ANDRÉS NÃO QUER DORMIR A SESTA
Daniel Bustamante
(Argentina, 108 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 12 anos

17h30 - MARIBEL
Yerko Ravlic
(Chile, 18 min, 2009, fic)

O QUARTO DE LEO
Enrique Buchichio
(Uruguai/ Argentina, 95 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 14 anos

19h30 - O FILHO DA NOIVA
Juan José Campanella
(Argentina/ Espanha, 124 min, 2001, fic)
Classificação indicativa: livre


05/12 – DOMINGO

13h30 - GROELÂNDIA
Rafael Figueiredo
(Brasil, 17 min, 2009, fic)

MUNDO ALAS
León Gieco, Fernando Molnar,
Sebastián Schindel
(Argentina, 89 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

15h30 - CARRETO
Marília Hughes, Claudio Marques
(Brasil, 12 min, 2009, fic)

BAILÃO
Marcelo Caetano
(Brasil, 17 min, 2009, doc)

DEFENSA 1464
David Rubio
(Equador/ Argentina,
68 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

17h30 - O ANO EM QUE MEUS PAIS
SAÍRAM DE FÉRIAS
Cao Hamburger
(Brasil, 110 min, 2006, fic)
Classificação indicativa: 10 anos

19h30 - EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO
Daniel Ribeiro
(Brasil, 17 min, 2010, fic) IMAGEM FINAL
Andrés Habegger
(Argentina, 94 min, 2008, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

http://www.cinedireitoshumanos.org.br/
* O formato de exibição dos filmes é DVCAM.
fonte: BLOG DA ABD MARANHÃO

29 de nov de 2010

Projeto: O Baile do Teatrodança acontece de 05 a 07/12 - MA

clique na imagem para ampliar

Apresentação "O Baile das Lavandeiras",04 de dezembro, 19 horas, com entrada gratuita, na sede do Teatrodança, Recanto Turu, Miritiua, próximo ao Residencial Gaivota.
Praticas do Seminário coordenadas por Jesser de Souza, ator e pesquisador do LUME Teatro, seguem até 07 de dezembro. Inscrições gratuitas na sede do Grupo.

fonte: Julia Emilia

Sarau maranhense no Rio de Janeiro - RJ

clique na imagem para ampliar

A cultura do Maranhão com o Cacuriá de Dona Teté e show de Rosa Reis, fazem a festa no Centro Cultural da Bola Preta, dia 1º de dezembro no Rio de Janeiro.

Também dia 1º de dezembro o Cacuriá de Dona Teté apresenta-se no Largo da Carioca e realiza oficina dia 30 de novembro na Fundição Progesso, das 15 às 18:30 h, pelo projeto "BRASILIDADE Todos pela Cultura para todos" veja programação no site do Minc www.cultura.gov.br/brasilidade

fonte: Rosa Reis

Projeto Puente promove encontro de Eugenio Barba e Aderbal Freire-Filho no Teatro Poeira - RJ

Julia Varley em “O castelo de Holstebro”

Realizado desde 2006, pelo Teatro Poeira, com patrocínio da Petrobras, o Projeto Puente traz ao Rio de Janeiro o mestre da Antropologia Teatral e fundador do Odin Teatret, o diretor Eugenio Barba para o Seminário Cruzamento de Dramaturgias, que dividirá com Aderbal Freire-Filho entre os dias 30 de novembro e 2 de dezembro, no Teatro Poeira. Antes, na noite de 29 de novembro, a atriz inglesa Julia Varley apresenta ao público a peça “O castelo de Holstebro”, que integra o repertório do Odin Teatret.

PROGRAMA


DIA 29/11, SEGUNDA-FEIRA

Apresentação da peça “O castelo de Holstebro”

Sinopse: O espetáculo se move na paisagem mutável e repetitiva do tempo, para perder-se num labirinto de personagens e situações em busca de memórias perdidas. O Castelo de Holstebro é um castelo fantasma habitado por produtos da imaginação. Um castelo invisível, que o espetáculo traz à vida através de um processo teatral que segue o caminho de "fluxos de consciência", utilizado na literatura. O Castelo de Holstebro é o mundo que se torna um sonho e o sonho que se torna um mundo. Dentro de suas muralhas uma jovem e seu eterno companheiro estabelecem um diálogo da mesma forma que pensamentos se aventuram na lógica oposta da experiência. Como a borboleta no estado de larva, uma mulher vestida de branco nasce de seu admirador irônico. Fala com ele e em seguida torna-se ele. Ele é seguro de si mesmo, cínico e cheio de vida. Ela vive na água, entre flores e ilusões. Ele é encantador, vivaz; muda dimensões de forma dramática; está interessado no espectador e é curioso. Ela é capaz de viver em um mundo de quimera, onde o amor sorri desde uma imaginação pura e brilhante.
Direção: Eugenio Barba

Interpretação: Julia Varley

Horário: 21h

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia entrada)

Classificação indicativa: Livre

Duração: 50 minutos



DIA 30/11, TERÇA-FEIRA

Seminário Cruzamento de Dramaturgias (exclusivo aos participantes selecionados):

09:30h às 13h – Eugenio Barba ensaia com Julia Varley.

14:30h às 18h – Aderbal Freire-Filho ensaia com Raquel Iantas, Isio Ghelman, Candido Damm e Gillray Coutinho.

Demonstração de Trabalho (aberta ao público):

18:30h – Demonstração de “O eco do silencio” por Julia Varley.

Sinopse: O eco do silêncio é uma demonstração de trabalho que descreve as vicissitudes da voz de uma atriz e os estratagemas que ela cria para 'interpretar' um texto. A voz da atriz e o texto apresentado aos espectadores compõem a música de um espetáculo. No teatro, que aparentemente é livre dos códigos que conhecemos na música, a atriz precisa criar um labirinto de regras, referências e resistências para seguir ou não, de modo a atingir uma expressão pessoal e reconhecer sua própria voz. O eco do silêncio toca em alguns momentos desse processo permitindo à percepção do espectador deslizar através da disciplina técnica revelando a pessoa por traz do ator e o silêncio por traz da voz.

Ingressos: GRÁTIS, com distribuição de senhas a partir das 15h.
Classificação indicativa: Livre

Duração: 90 minutos



DIA 01/12, QUARTA-FEIRA

Seminário Cruzamento de Dramaturgias (exclusivo aos participantes selecionados):

09:30 às 13h – Eugenio Barba trabalha com Julia Varley

14:30h às 18h – Aderbal Freire ensaia com Raquel Iantas, Isio Ghelman, Candido Damm e Gillray Coutinho

Demonstração de Trabalho (aberta ao público):

18:30h – Demonstração de “O irmão morto” por Julia Varley.

Sinopse: O irmão morto é uma demonstração sobre como os espetáculos são feitos no Odin Teatret. Descreve os estágios do trabalho, que partindo de um texto poético conduzem à 'poesia no espaço': o espetáculo. Apresenta os diferentes estágios do processo em que texto, atriz e diretor interagem. Mostra os primeiros passos de como a atriz cria sua própria presença de palco até o último passo em que o texto, através da forma e precisão das ações, adquire ritmos e densidade de sentido. As energias do espectador podem dançar, mental e sensorialmente. O criador não reconhecido no teatro é o espectador. O irmão morto é uma demonstração de trabalho onde o 'milagre da água fresca' é explicado com uma sucessão de fórmulas químicas e então apresentado no momento em que os elementos não podem mais ser separados e explicados, mas somente vivenciados.

Ingressos: GRÁTIS, com distribuição de senhas a partir das 15h.
Classificação indicativa: Livre

Duração: 60 minutos



DIA 02/12, QUINTA-FEIRA

Seminário Cruzamento de Dramaturgias (exclusivo aos participantes selecionados):

09:30h às 13h – Eugenio Barba ensaia com Julia Varley

14:30h às 18h – Aderbal Freire ensaia com Raquel Iantas, Isio Ghelman, Candido Damm e Gillray Coutinho

Demonstração de Trabalho (aberta ao público):

18:30h – Demonstração de “O tapete voador” por Julia Varley.

Sinopse: O texto é um tapete que deveria voar para longe: com esta frase se inicia a demonstração de fragmentos de textos pertencentes aos espetáculos que a atriz Julia Varley tem desempenhado ao longo de seus 30 anos, com o Odin Teatret. E algumas explicações essenciais acompanham o trabalho vocal que ilustra a passagem das palavras escritas no espaço, da frieza do papel a liberdade da interpretação.

Ingressos: GRÁTIS, com distribuição de senhas a partir das 15h.
Classificação indicativa: Livre

Duração: 60 minutos


SERVIÇO

Teatro Poeira. Rua São João Batista 104, Botafogo. Telefone: 2537-8053

Funcionamento da bilheteria: 3ª a sábado de 15h às 21h e domingo de 15h às 19h

Informações e Incrições: http://www.teatropoeira.com.br/

fonte: Ney Motta

17 de nov de 2010

"O que resta de quatro" reune Dança, Cinema e Teatro - SP

foto: Vitor Vieira

Estreia dia 19 de novembro de 2010, na sala Crisantempo, "O que resta de quatro", do Núcleo Cinematográfico de Dança. O espetáculo é parte do projeto “Transborda“ contemplado pela 8ª Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança.

O trabalho inspira-se livremente na obra “The rape of Sabine women” (2006) dirigida pela artista britânica Eve Sussman. O filme, essencialmente físico, não contém diálogo verbal, mas ações corporais que variam de gestos improvisados a seqüências coreografadas em uníssono. Filmado em Berlim, em Atenas e na ilha grega de Hydra, o filme é um drama de costumes avant-garde em cinco atos.

A obra de Sussman vem ao encontro da pesquisa do Núcleo Cinematográfico de Dança, que parte, antes de mais nada, da imagem e do corpo para assim construir o movimento. Desejo e poder são mote para a obra britânica, assim como para O Que Resta de Quatro. Somam-se às duas questões os set de filmagens que o filme utiliza para tratar dos assuntos.

Deslocando para São Paulo as locações de gravação utilizadas por Sussman, com intuito de provocar nos criadores diferentes sensações e possibilidades de corporalidades, o Núcleo visitou o Aeroporto de Congonhas, Galeria Baró, Teatro Oficina, Rua Oscar Freire, Casa de Carnes Steak House e a Casa Aúthos Pagano.

As locações se apresentaram como diferentes espaços de convívio, motivando assim formas de encontros entre os criadores-intérpretes. Transpondo para o palco, em cena, os corpos se sobrepõem, se diluem, vão e vem. Corpos que se colocam no limite entre o lá e o aqui, entre o outro, entre as coisas: na borda. É nessa zona de tensão e fluxo que sobrevêm os encontros e os abandonos.

Nas locações também foram investigadas imagens em vídeo, que são projetadas com o intuito de amplificar o espaço cênico.

Concepção: Núcleo Cinematográfico De Dança
Direção: Mariana Sucupira e Maristela Estrela
Criação E Interpretação: Anderson Gouvêa, Clara Gouvêa, Mariana Sucupira e Maristela Estrela
Provocadores: Ana Teixeira, José Romero e Moira Toledo
Palestrantes: Pedro Palhares e Cris Cortilio
Colaboração De Pesquisa Dramatúrgica: Ana Terra
Criação De Trilha Sonora:Ramiro Murilo
Criação De Luz:André Boll
Criação De Cenografia: José Romero e Luciano Bussab
Criação De Figurino: Núcleo Cinematográfico De Dança
Produção: Anderson do Lago Leite
Foto Divulgação: Vitor Vieira
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto – Márcia Marques

"O que resta de quatro"
60 minutos, 12 anos
Sala Crisantempo
R. Fidalga, 521 - Vila Madalena – São Paulo/SP Tel.: (11) 3819-2287
Datas: 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de Novembro de 2010
03, 04 e 05 de Dezembro de 2010
Sextas e Sábados às 21h, Domingos às 19h
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) - A bilheteria abre uma hora antes de cada apresentação.

Galeria Olido – Sala Paissandu
Av. São João, 473 – Centro – São Paulo/SP Tel (11) 3397-0171
Datas: 16, 17, 18 e 19 de Dezembro de 2010
Quinta a sábado às 20h e domingo às 19h
Ingressos: Gratuito – retirar na bilheteria uma hora antes.
fonte: Canal Aberto

Show Senhora das Candeias no Teatro Arthur Azevedo - MA

foto: Meirelles Jr.

No dia 20 de novembro de 2010, às 21h, Alexandra Nicolas retornará ao palco do Teatro Arthur Azevedo com o show “Senhora das Candeias”.

Apaixonada pelas divas da música brasileira, Alexandra sempre focou seu trabalho em repertórios que mostrassem a essência do feminino e da brasilidade, como Clara Nunes, Carmen Miranda, Elizeth Cardoso e Elis Regina.

Senhora das Candeias surgiu a partir do encontro de Alexandra Nicolas com a Cavaquinista e Coordenadora da Escola Portátil de Choro Carioca, Luciana Rabelo, que apresentou seu trabalho ao poeta e compositor Paulo Cesar Pinheiro, que encantado com sua voz e performance, cedeu 19 composições para que Alexandra montasse Senhora das Candeias.

O Projeto Senhora das Candeias teve seu início no ano passado, com show no Teatro Arthur Azevedo, e encantou a platéia com a versatilidade e diversidade de linguagens artísticas que Alexandra Nicolas levou para o palco.

Para 2010, a cantora manteve o repertório e investiu ainda mais em sua performance e na plasticidade do show, integrando ao repertório musical, teatro, dança e a artes plásticas.

Para composição do espetáculo, Alexandra Nicolas está contando com uma equipe de artistas e produtores que estão responsáveis por dar a identidade e a magia do show.

Equipe de Produção:
Direção Geral - Martin Messier
Direção Executiva - Martin Messier / Alexandra Nícolas
Idealização - Luciana Rabello / Martin Messier
Direção Musical - Celson Mendes
Direção Artistica - Urias de Oliveira
Cenário e Figurino - Paulo Cezar Carvalho
Iluminação - Milena
Produção - André Lobão/ Alexandra Nícolas/ Martin Messier

Elenco de Baile: Irlane Rocha, Cristiane, Camila Reis, Maria Joaquina, Robinho, João Carlos, Gilmar, Eleomar

Músicos:
Violão - Celson Mendes
Violão 7 cordas - João Eudes
Cavaquinho - Wendel
Bandolin - Wendel
Sanfona - Rui Mario
Flauta - João Neto
Bateria - Fleming
Percurssão I - Arlindo Carvalho
Percurssão II - Josemar
Percurssão III – Peixinho

Show “Senhora das Candeias” com Alexandra Nicolas
20 de novembro de 2010, às 21h
Teatro Arthur Azevedo

fonte: André Lobão

Marconi Rezende canta Chico Buarque no Teatro Arthur Azevedo - MA

clique na imagem para ampliar
fonte: Marconi (via e-mail)

Espetáculo de dança "Lugar Algum" estréia em São Paulo - SP

Em um espetáculo que representa a essência do processo de pesquisa da iN SAiO - a busca da instabilidade como substância essencial – “Lugar Algum” traz ao palco a fragilidade humana diante de situações onde as pessoas “perdem o chão” ou experimentam sentimentos de desapropriação, de transitoriedade. “Imagine uma pessoa que acaba de receber a notícia de que perdeu sua casa e não tem mais onde morar. O espetáculo resgata o exato momento dessa perda, o que acontece com o corpo a partir desta sensação de desalojamento”, explica a coreógrafa Claudia Palma.

“Lugar Algum” nasceu justamente de uma experiência de perda e desapropriação. Palma integrava o Grupo 2 do Balé da Cidade de São Paulo, quando ele foi extinto. “Um tempo depois realizei um projeto de oficinas de dança e conheci o grupo de bailarinos que hoje estão no espetáculo. Quando percebi que estávamos em situação bastante semelhante, sem teto, sem parede, sem abrigo, para desenvolvermos nossa arte, resolvi mandar o projeto para a Lei de Fomento. Fui selecionada e dei continuidade ao projeto e ao desejo de estarmos juntos”, conta Cláudia.

A coreógrafa se inspirou em três objetos de pesquisa para a concepção dos movimentos realizados pelos bailarinos: do Edifício São Vito, o famoso Treme-Treme, na região central de São Paulo, que chegou a abrigar três mil moradores, a diretora extraiu o sentimento de desalojamento; do documentário Edifício Master (2002), de Eduardo Coutinho captou o sentimento de isolamento, pelo fato de os moradores raramente se verem, ou nem saber da existência um do outro, fato retratado no filme; do trabalho do pintor, escultor e fotógrafo Richard Long - ícone dos anos de 1960 que utilizava a natureza como objeto de criação e representava a paisagem introduzindo-se na mesma – Claudia Palma trouxe a liberdade na arte, refletindo estas impressões na cenografia, incluindo grandes pedras no espaço do palco.
“Lugar Algum”
Duração: 60 minutos
Classificação: Recomendado para maiores de 12 anos
Direção e Concepção: Claudia Palma
Criação: Claudia Palma e Elenco
Elenco: Felipe Teixeira, Juliana Ferreira, Nina Giovelli, Renato Fagundes, Thais Di Marco, Fernando Machado, Fernando Dourado, Cristina Ávila
Colaboradores Convidados: Rodrigo Vilalba, Cecília Maeda, Diego Veiga e Lo Preto
Vídeo Maker e Documentação em vídeo: Alex Soares
Design de Luz: Domingos Quintiliano
Trilha Sonora: Renato Jimenez
Cenário: Dilenia Reis
Figurino: Danubia Costa
Design Gráfico: Felipe Teixeira
Fotografia: Silvia Machado
Produção Executiva: Alex Soares

19, 20 e 21 de Novembro de 2010, sexta e sábado, 21h, domingo, 19h
Teatro João Caetano
Rua Borges Lagoa, 650 – Vila Clementino - (11) 5549-1744 / 5573-3774
Capacidade: 436 lugares
Entrada Franca - Retirar ingresso uma hora antes.

30 de Novembro de 2010, às 20h
Este espetáculo integra a programação do Vocacional Apresenta
CEU Aricanduva - Teatro Décio de Almeida Prado
Rua Olga Fadel Abarca, s/nº Vila Aricanduva / Cidade Líder
Fones: 2723-7556 / 27237549
Entrada Franca

19 de Dezembro de 2010, às 17h
CEU Quinta do Sol – Teatro Nair Bello

Avenida Luiz Imparato, 564 Fones: (11) 3396-3430 / 3433 - Cangaíba
Entrada Franca

13, 14, 15 e 16 de Janeiro de 2011, quinta a sábado, 20h, domingo, 19h
Galeria Olido - Sala Paissandu - Avenida São João, 473 – Centro – São Paulo/SP
Capacidade: 136 lugares
Entrada Franca - Retirar ingresso uma hora antes
fonte: Canal Aberto

Porto Alegre recebe a Feira da Música do Sul - RS

clique na imagem para ampliar

De 17 a 20 de novembro a diversidade cultural se fará presente na cidade. A Feira da Música do Sul 2010 traz uma infinidade de atrações concentrando em Porto Alegre, durante quatro dias, pensadores e articuladores da cena da música. Um espaço para múltiplas atividades como painéis, shows, oficinas, rodadas criativas, encontros e mostras de serviços. O evento acontece na Casa de Cultura Mario Quintana e no Centro de eventos Casa do Gaúcho.

Com o objetivo de incentivar o grande potencial econômico do cenário musical gaúcho, a Feira da Música do Sul propõe um espaço de discussão e negócios do setor musical. A idéia é promover a abertura e a ampliação do mercado e acelerar o desenvolvimento de atividades de qualificação profissional para músicos, produtores e demais agentes do cenário musical. Reunir para agregar, qualificar para empreender. Estes são os focos da Feira da Música do Sul 2010, elaborados a partir de crenças e experiências de grandes feiras internacionais como o Midem, a Womex, o SXSW e a Popkomm - e nacionais como a Feira da Música de Fortaleza, o Mercado Cultural, a Feira da Música Brasil, o Porto Musical e a Brazil Central Music.

E música de referência é o que não falta para este grande evento que promete apresentações de diferentes gêneros. Guapos, Loucos e Letrados são três grupos musicais formados por artistas gaúchos que representam o estilo que dá nome às bandas. Guapos são compostos pelos tradicionalistas, Loucos são os roqueiros e os Letrados são os músicos com uma veia poética. Outras grandes atrações como Leopoldina e Banda e Mestre Jonas fazem parte desta intensa programação

Programação Feira da música do Sul 2010

17/11 – Quarta-feira
Shows – Casa do Gaúcho
19h às 22h – Mostra de produtos e serviços
20h30 – Abertura Oficial
21h – Leopoldina e Banda
22h – Mestre Jonas

Noites Fora do Eixo – Wannabe Jalva e Projecto Gomez
Horário: 22h
Local: Dr. Jekyll (Travessa do Carmo, 73 - Cidade Baixa)

Circuito Trocando Ideia de Rap - Ogi (SP) e Dj Charquipunk (Chile)
Horário: 22h
Local: Garagem Hermética (Rua Barros Cassal, 386)

18/11 – Quinta-feira
Painéis – Casa de Cultura Mário Quintana
10h – Observatórios Culturais e Políticas Públicas para a Música
13h30 – Atuação do Sebrae na Cultura Brasileira
14h – Encontro com Tatiana Ivanovici (Jornalista e Produtora Cultural) - SP e Bruno Torres (Distribuidora Favela Music) – RJ
14h – Rodadas Criativas
15h – Oficina Comunicação na música: criando um release
16h – O Direito Autoral e a Reforma da Lei
18h - Encontro com Maurício Bussab - SP - Distribuidora Tratore
19h – Sessão de videoclipes

Shows - Casa do Gaúcho
16h – Mostra de produtos e serviços
22h – Guapos

Noites Fora do Eixo – Canastra Suja e Véspera
Horário: 22h
Local: Eclipse Bar (Rua Joaquim Nabuco, 272 - Cidade Baixa)

Circuito Trocando Ideia de Rap - DJ MZK, Tonho Crocco e atração surpresa
Horário: 22h
Local: Garagem Hermética (Rua Barros Cassal, 386)

19/11 – Sexta-feira
Painéis - Casa de Cultura Mário Quintana
10h - Circulação na América Latina
13h30 – Cooperativismo
14h – Rodadas Criativas
14h – Oficina Além da música: o que é uma equipe de produção
16h – Imagem & Comprador
17h – Encontro com Andre Maleronka (Editor da Revista Vice) - SP
19h – Sessão de videoclipes

Shows - Casa do Gaúcho
16h – Mostra de produtos e serviços
23h – Loucos

Noites Fora do Eixo
Tonho Crocco
Horário: 22h
Local: Long Play (Sarmento Leite, 880 – Cidade Baixa)
Bandinha Di Da Dó
Horário: 22h
Local: Verde Club (Avenida Goethe, 200 - Moinhos de Vento)

Circuito Trocando Ideia de Rap - Lurdez da Luz (SP) e D.R.O e Solo Damant (RS)
Horário: 23h30
Local: Garagem Hermética (Rua Barros Cassal, 386)

20/11 – Sábado
Painéis - Casa de Cultura Mário Quintana
13h30 – Educação Musical
14h – Encontro de Coletivos e Produtores Independentes do Sul
14h – Rodadas Criativas
15h30 – Feiras de música no Brasil
17h30 - Plenária do Fórum Permanente de Música do RS

Shows - Casa do Gaúcho
16h – Mostra de produtos e serviços
23h – Letrados

Noites Fora do Eixo
Telecines e Auditiva
Horário: 22h
Local: Dr. Jekyll (Travessa do Carmo, 73 - Cidade Baixa)
Bebop e Subtropicais
Horário: 22h
Local: Live Sport Pub (Rua Doutor Barcelos, 435 - Assunçã

Sobre os parceiros:

Circuito Fora do Eixo
Rede de trabalhos concebida por produtores culturais das regiões centro-oeste, norte e sul no final de 2005. Começou com uma parceria entre produtores das cidades de Cuiabá (MT), Rio Branco (AC), Uberlândia (MG) e Londrina (PR) que queriam estimular a circulação de bandas, o intercâmbio de tecnologia de produção e o escoamento de produtos nesta rota desde então batizada de "Circuito Fora do Eixo". Hoje o Circuito Fora do Eixo está em 25, das 27 unidades federativas do Brasil. O sul, o centro-oeste, o sudeste e o norte são regiões totalmente associados, já que contam com todos os estados inclusos. O Macondo Coletivo, referência da Regional Sul do Fora do Eixo, é o responsável pela administração da parceira com a Feira da Música do Su.

Instituto Trocando Ideia
O Instituto Trocando Ideia de Tecnologia Social Integrada existe formalmente há 6 anos. O grupo de ativistas e produtores culturais que constitui o Instituto realizou entre 1999 e 2006 o Encontro Trocando Ideia anualmente em Porto Alegre, além de duas edições nacionais em São Luis do Maranhão e Recife. Trocando inclusão social por transformação social - e sabedores que este processo se constrói somente com o fomento e a prática da cidadania - , este grupo foi se dividindo e aglutinando em diferentes áreas de atuação, sempre tendo a arte de rua e do Hip Hop (música, dança, artes plásticas, conhecimento ) como sua base de atuação. O Instituto promove diferentes formas de saberes e integrações e fortalece encontros de diversos atores sociais da cultura e movimento Hip Hop de todas as juventudes.

Plataforma Brasil
Dizer que a atividade musical é grande geradora de riquezas, emprego e desenvolvimento já é lugar comum nas conversas em torno da economia da cultura. Para dar um passo além da retórica, as produtoras das feiras de música do Brasil e a Funarte - Fundação Nacional das Artes – criarama Plataforma Brasill, uma rede organizada para fomentar o mercado nacional e dialogar com iniciativas irmãs em âmbito internacional. Com um calendário organizado cronológica e geograficamente, o circuito é formado pelo Porto Musical (Recife/PE), Feira da Música do Sul (realizada no RS, SC e PR alternadamente), Feira da Música de Fortaleza (Fortaleza/CE), Brasil Central Music (Goiânia/GO), Mercado Cultural (Salvador/BA), e tem seu fechamento na Feira Música Brasil, promovida pelo Ministério da Cultura e Funarte e realizada a cada ano em uma cidade diferente. A idéia consolida a presença brasileira no circuito mundial de feiras musicais para conferir visibilidade e atrair investidores estrangeiros para o mercado musical brasileiro da atualidade. Participantes: Kaká Mamoni (Feira Música Brasil), Melina Hickson (Porto Musical), Ivan Ferraro (Feira da Música de Fortaleza), Ruy César (Mercado Cultural), Benjamin Taubkin (Mercado Cultural), Tião Donato (Brasil Central Music).

Plenária do Fórum Permanente de Música do RS
Dentro das atividades do FPMRS, que é um dos protagonistas da Feira da Música do Sul, será realizada a plenária anual da entidade para avaliação das ações do ano de 2010 e propostas de linhas de ação para 2011. Criado para ser uma instância de diálogo e reflexão o FPMRS desenvolve importante papel na elaboração e acompanhamento das políticas públicas para a cultura do estado, bem como suas implantações.

Rodadas Criativas
Encontrar pessoas, facilitar enlaces e fomentar novos modelos de negócios. Estas são as propostas das rodadas criativas da Feira da Música do Sul Edição 2010, que aposta na crença de que pessoas livres para criar podem repensar os velhos modelos e propor novidades para seus negócios, bem como criar alternativas às formas desgastadas. As rodadas acontecerão em um centro de convivência onde as pessoas poderão, cada uma a sua maneira, elaborar e realizar opções criativas de modelos de negócios. Para participar os interessados devem preencher o formulário online em www.feiradamusicadosul.com.br/rodadascriativas e aguardar sua inclusão na Agenda Criativa da feira. Após, os participantes poderão se logar no sistema e navegar pelos perfis dos demais, conhecendo seus afazeres e articulando encontros ou - se preferirem - simplesmente comparecer ao espaço de convivência e lá decidirem com quem querem dialogar
fonte: Caldeirão das artes

11 de nov de 2010

RAMBÔ comemora aniversario de vida de ator e de morte do autor


clique na imagem acima para ampliar
Wagner Heineck em "RAMBÔ"

O ator Wagner Heineck completa 37 anos no próximo dia 15, idade essa que morreu o poeta Francês, Arthur Rimbaud, no dia 10 de novembro de 1891.
Trata-se de um solo-performático com o ator Wagner Heineck, inspirado no poeta Francês Arthur Rimbaud (1854 – 1891) e no vocalista da banda The Doors, Jim Morrison.
O texto é uma colcha de retalhos, recortados pelo ator Wagner Heineck, de poemas, canções e pensamentos de Rimbaud, Morrisson, Nietzsche e Cazuza, costurada por Klaus Novais, criando um personagem que vive tudo num único momento, entre a morte e a vida, entre tudo o que pára em pé o reinício. Polêmico, “Rambô” (como é pronunciado, Rimbaud, em português) é o Cristo da danação, mostrando verdades e indicando caminhos.

Ficha técnica
Texto: Arthur Rimbaud, Jim Morrisson, Nietzsche, Cazuza, Klaus Novais e Wagner Heineck
Direção e atuação: Wagner Heineck
Fotos: Sean T. Mitchell
Sudário/estandarte: Marcelo Amorim

XII MOSTRA ARTÍSTICA DE TEATRO – ILHA COMPRIDA/SP
DIA: 12/11/2010 (sexta-feira)
às 20h30 – Abertura - Apresentação dos alunos da Oficina Municipal de Violão e Guitarra, do professor Fúlvio Oliveira
às 21h - Espetáculo - “RAMBÔ” – com Wagner Heineck
LOCAL: Espaço Cultural Plínio Marcos
Av. São Paulo, 1.000 – Balneário Adriana – Ilha Comprida-SP
Tempo de duração: 30 minutos
Informações: www.ilhacomprida.sp.gov.br


WAGNER HEINECK é ator, nascido em São Paulo, criado em Juquiá (Vale do Ribeira) e radicado em São Luis, Maranhão. Desde os 12 anos começou a estudar Jazz e Ballet clássico. Em 1988, aos 14 anos, mudou-se para São Paulo e começou a trabalhar numa empresa de Assessoria de Imprensa "Fato Paulista", onde teve seu primeiro contato com os mais renomados artistas do mundo, dentre eles: Billy Paul, Roberta Flack, B.B.King, Marisa Monte e Lulu Santos, dentre outros.
Iniciou sua carreira artística em 1990 no grupo “Os Petalógicos” desenvolvendo pesquisa de linguagem teatral sob a direção de Jair de Assumpção. Passou por diversos grupos e renomados diretores, sempre em busca de conhecimento e aprimoramento na arte de interpretar e do fazer teatral. Paralelamente a atuação, envereda também por outras áreas artísticas, como: direção, iluminação, produção artística, executiva e cultural e assessoria de imprensa.
Entre suas diversas experiências, destacam-se: curso de interpretação para cinema com Fátima Toledo; participação no Simpósio de Jerzey Grotowski e Thomas Richards em sua vinda ao Brasil; atuação no curso de direção de teatro na Escola Livre de Santo André sob coordenação de Antônio Araújo; os diversos cursos de teatro que ministrou em Juquiá pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo; sua indicação a Diretor revelação no Mapa Cultural Paulista em 1998 dirigindo “O Grito”; atuação no espetáculo “Uma estação no silêncio” (premiado no FESTA 42 – Festival Santista de Teatro/2006) em Santos/SP; iluminação do infantil “A cigarra e a formiga” (2°lugar no Festival Gianfrancesco Guarnieri, em São Paulo) em 2003; Direção e iluminação do espetáculo “Dorotéia – uma farsa irresponsável” (Premio Myriam Muniz de montagem - Funarte/2006) em São Luís/MA; Iluminação do espetáculo de dança “Bull Dancing” (Prêmio Klauss Vianna de circulação – Funarte/2007) em Teresina/PI.
Em busca de seus ideais artísticos e novas experiências profissionais e culturais, trabalhou e morou em São Paulo, Santos, Praia Grande, Juquiá, Porto Seguro (BA) e São Luís (MA). Em 1998 recebeu o título de “Parceiro da Cultura” da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, por sua ativa participação em ações culturais desenvolvidas no Vale do Ribeira.
Desenvolveu uma pesquisa sobre o poeta Francês Arthur Rimbaud, que resultou no solo performático “Rambô” e no vídeo-curta “O Rebanho do Fauno do Trianon”.
Em 2006 é nomeado Diretor do Teatro Alcione Nazareth pelo Governador do Estado do Maranhão em São Luis.
É um dos fundadores da Semana do Teatro no Maranhão (Mostra de teatro fundada em 2006) e produtor das três primeiras edições da Mostra SESC Guajajara de Artes – MA.
Em 2009 dirige o Departamento Municipal de Cultura de Juquiá.

JEAN-NICOLAS ARTHUR RIMBAUD – Nasceu no dia 20 de outubro de 1854 em Charleville – França. Escreveu sua primeira obra-prima, “O barco bêbado” aos 17 anos sem nunca antes ter visto o mar. Mudou-se para Paris, a convite do poeta Paul Verlaine, onde ficou conhecido como o poeta maldito/gênio maldito, principalmente depois de escrever “A carta do vidente” em que diz: o poeta se faz vidente por um longo e imenso desregramento de todos os sentidos, todas as formas de amor, de sofrimento, de loucura...
Aos 19 anos escreve “Uma estação no Inferno”, livro de estréia custeado por sua mãe. Logo em seguida escreve “Iluminações”, marco do simbolismo na literatura mundial. Teve uma relação amorosa com Paul Verlaine, o qual resultou na prisão de Verlaine por atirar contra Rimbaud e uma cicatriz na mão e na alma do jovem poeta. Desistiu da poesia aos 21 anos e desapareceu. Seguiu em viagem por diversos lugares, até chegar na Abissínia-Africa, onde desbravou lugares onde nunca havia pisado um homem branco antes dele. Por causa de um tumor na perna, voltou para a França em 1891, teve sua perna amputada e morreu alguns meses depois em constantes delírios, no dia 10 de novembro.
O norte-americano Henry Miller, um dos grandes admiradores da poesia simbolista de Rimbaud, diz, diante disso, que o tipo Rimbaud chegará a superar tipos clássicos de comportamento; como o introspectivo e inquieto jovem estampado pelo personagem Hamlet, de Shakespeare. "Acho que existem muitos Rimbauds neste mundo e que seu número aumentará com o tempo. Acho que o tipo Rimbaud tomará o lugar, nos próximos tempos, do tipo Hamlet e do tipo Fausto. Até que o velho mundo morra de vez, o indivíduo 'anormal' será cada vez mais a norma. O novo homem se encontrará quando a guerra e a coletividade entre o indivíduo cessar. Veremos então o tipo de homem em sua plenitude e esplendor".Paulo Leminski escreveu no curtíssimo ensaio "Poeta Roqueiro" que "vivesse hoje, Rimbaud seria músico de rock" e que Rimbaud "pasmou os contemporâneos com uma precocidade poética - (escrevendo) obras-primas entre os 15 e os 18 anos".

fonte: bacanal das artes

4 de nov de 2010

Cia Carroça de Mamulengos estréia novo espetáculo e segue temporada no Rio - RJ

clique na imagem para ampliar
FELINDA
Um dia uma moça, nem feia e nem linda, sonhou em fugir com o circo. Fez suas malas, mas quando foi procurá-lo, o circo já havia baixado a lona e partido. Vendo-se sozinha, desatinou: esqueceu seu nome e de onde vinha. Só não esqueceu o circo e permaneceu esperando. Eis que, evocado por suas lembranças, o circo aparece trazendo uma charanga de palhaços, quatro gêmeos distintos, uma bailarina tímida, bonecos reais e seres imaginários que rondam o picadeiro de sua memória. E tudo sempre começa de novo. Uma velha, nem feia e nem linda, sonha em fugir com o circo...
Ficha técnica
Elenco: Boi Soberano, Schirley França, Maria Gomide, Francisco Gomide, João Gomide, Mula Sem Cabeça, Pedro e Mateus Gomide, Isabel e Luzia Gomide, Jaraguás Rosa e Florinda, Ana Rosa Guedes, Beto Lemos, Urubu Limpa-Mundo e Felinda.
Direção: Alessandra Vannucci
Roteiro: Carroça de Mamulengos
Dramaturgia: Carroça de Mamulengos e Alessandra Vannucci
Poesias: Antonio Gomide
Cenografia: Fernando Melo/Rostan
Figurinos: Zaza Lira
Trilha sonora original: Beto Lemos
Desenho de som: Leandro Lobo
Desenho de luz: Renato Machado
Assistente de direção: João Gioia
Cenotecnico: Dodô Giovannetti
Confecção de figurinos: Ateliê de costura Adélia Andrade (Adélia Andrade, Teca Fichinski, Meury Amaral, Celma Vieira e Maria José de Miranda)
Criação e confecção dos bonecos: Carlos Gomide, Antonio Gomide, Maria Gomide, Francisco Gomide, Schirley França e Ateliê de costura Laço de Fita (Jô Maria e Lucia Quintina)
Criação e confecção de máscara: Carlos Gomide
Preparação corporal circense: Bruno Carneiro e Mia Ferreira
Preparação corporal Felinda: Joel Rocha
Preparação vocal: Marcelo Rodolfo
Projeto gráfico: Flavia Correia
Fotografias: Mauro Kury
Produção executiva: Ana Clara Rizério e Alex Nunes
Equipe de produção: João Eizo, Ludmilla Teixeira, Pedro Yudi e Roberto Jerônimo
Direção de produção: Sérgio Saboya
Assessoria de imprensa: Érica Avelar (RPM Comunicação)
Revisão: Angela Pecego

CARROÇA DE MAMULENGOS Carlos Gomide começou a trabalhar com arte em 1975 em Brasília, junto ao diretor Humberto Pedrancini em um grupo chamado Carroça. Participou de duas montagens: “Pedro Malazartes” - texto de Maria Helena Kuhner, e “Cidade que não tinha rei” - montagem coletiva.
Com o dissolvimento do grupo Carroça, Carlos herdou o nome “Carroça” e começa a traçar um caminho próprio.
Em 1982, na passagem da Cia. Carroça por Brasília, Carlos conhece Schirley França, então com dezessete anos, que tornou-se sua esposa e integrante do grupo.
Com o nascimento dos filhos: Maria - 1984, Antonio - 1986, Francisco -1988, João - 1990, Pedro e Mateus -1995, Luzia e Isabel -1998, houve a necessidade de criar uma concepção cênica que possibilitasse a participação das crianças dentro de uma consciência de que vida e arte se complementam. Assim, de forma orgânica, Carlos e Schirley foram integrando conceitos de arte e educação na formação dos filhos que, desde sempre, acompanham seus pais em sua itinerância pelo país. Em cena transformam arte em vivência.

É assim que em função do amadurecimento de cada filho, naturalmente, a dança, a música, o canto, os bonecos e os elementos circenses foram incorporados às brincadeiras.

O picadeiro, para essa família, é sagrado, é a extensão do próprio lar. Hoje, a Companhia Carroça de Mamulengos apresenta suas brincadeiras por praças, feiras, ruas, teatros e festivais. Trilha um caminho de fé, acreditando na vida e na arte como meio capaz de tocar profundamente os corações de homens, mulheres e crianças. Abraça o Brasil e por ele é abraçado.


FELINDA
de 06 de novembro à 19 de dezembro de 2010
Teatro Municipal do Jockey
Rua Mario Ribeiro, 410 - entrada de automóveis
Rua Bartolomeu Mitre, 1110 - Gávea - entrada de pedestre

fonte: Cia Carroça de Mamulengos (via orkut)

Dança Expressionista em Carnaval dos Animais - SP

O corpo do Homem desde que é engendrado, na sua morfologia e nos seus movimentos, representa em cada estagio dos nove meses de gestação a evolução que os seres vivos do planeta fizeram ao longo de milhões de anos. Existe uma memória ou herança genética presente no adulto urbano, que ainda podemos ver, mesmo que disfarçadamente, em gestos, atitudes e reações físicas cotidianas. Resgatar os diferentes animais da residência física do homem é o exercício mais profundo, autoconsciente e esperançoso que a prática da dança tem proporcionado ao intérprete.
O coreógrafo argentino Luis Arrieta vive desde 1974 em São Paulo, onde ocupou o cargo de diretor do Balé da Cidade nos anos 80. Presente na cena de dança da capital paulista, suas criações integram o repertório de várias companhias e vez ou outra, cria peças em que mostra suas habilidades como intérprete.
Foi assim que surgiu, em 2000, o solo Carnaval dos Animais, composto sobre músicas do compositor francês Camille Saint-Saëns (1835-1921) e do qual Arrieta é criador e intérprete. Pontuada de humor e com referências a questões como memória e herança genética, a peça pode ser descrita como um trabalho expressionista em que os movimentos, às vezes abruptos e inesperados, investigam as possibilidades do corpo desde a gestação.
FICHA TÉCNICA
Concepção, coreografia, figurino e interpretação: Luis Arrieta Iluminação: Joyce Drummond e Luis Arrieta – execução Roseli Almeida Fotografias: Antonio Carlos Cardoso Assistente: Ana Verônica Coutinho Compositor: Camille Saint-Säens (1835-1921) Música: “Carnaval dos Animais” Partes: Introdução e Marcha Real do Leão, Galinhas e Galos, Hemíones (animais velozes), Tartarugas, O Elefante, Canguru, Aquário, Personagens com longas orelhas, O cuco no fundo do bosque, Viveiro de aves, Pianistas, Fósseis, O Cisne, Final.

CARNAVAL DOS ANIMAIS
5 a 7 de novembro
–sexta às 21h, sábado às 20h, domingo às 18h
55 minutos, livre
TD – Teatro de Dança
Avenida Ipiranga, 344 - Subsolo, Edifício Itália - São Paulo (Metrô República)
Telefone da bilheteria: 2189 2555 Informações: 2189 2557 Capacidade: 278 lugares
fonte: Canal Aberto

Zeca Baleiro em noite de autógrafos em São Luis - MA

clique na imagem para ampliar
fonte: Julia Emilia

Festival Ponto.CE acontece até dia 06/nov em Fortaleza - CE

clique na imagem para ampliar

Acontecendo desde o dia 03/11, o Festival Ponto.CE 2010 está repleto de novidades em seu quinto ano de realização. Agora com quatro dias e ocorrendo em dois diferentes locais – no Centro Cultural Banco do Nordeste (de 3 a 6/11) e no Anfiteatro do Dragão do Mar (5 e 6/11) -, o evento segue valorizando a diversidade cultural no Estado. Além das performances de dança e das apresentações musicais e de audiovisual no Anfiteatro do Dragão do Mar, o festival conta pela primeira vez com palestras, workshops e oficinas, no Centro Cultural Banco do Nordeste. No local, ainda há, tardes de autógrafos, apresentações musicais e exibição de fotos e vídeos dos cinco anos do Ponto.CE. Vale destacar que a programação no CCBNB é completamente gratuita. A ampliação da programação para quatro dias é fruto da diversidade cultural que o festival propõe ao público, resultado da unificação de linguagens, através da música, da dança e do audiovisual, deixando claro a crescente evolução de cada edição e comprovando que o Ponto.CE vai muito além de um evento musical.

Atrações

A grande atração musical internacional já confirmada para o evento será a vinda de Marky Ramone, ex-integrante do Ramones, considerada até hoje uma das mais importantes bandas da história do punk rock mundial. Marky fez parte da banda em duas oportunidades: de 1978 a 1983 e de 1987 até o fim, em 1996.Outra importante banda que marca presença no Ponto.CE 2010 é a Garage Fuzz, uma das mais influentes no underground brasileiro. Formada em Santos, na década de 90, possui quatro álbuns, sendo um deles ao vivo.


Projeto “24 horas de Arte e Cultura”

Mais um destaque do festival é o lançamento do projeto “24 horas de Arte e Cultura”, já que nos dias 5 e 6 de novembro a programação coincide nos dois locais de realização. Assim, a programação tem início às 14h do dia 5 no CCBNB, com o ciclo de palestras e oficinas, e vai até às 18h - horário em que começa a programação no Dragão do Mar. No local, os shows vão até às 2h da manhã, o que totaliza 12 horas ininterruptas de palestras, shows, intervenções de dança e exibição de fotos e vídeos.

Confira a programação completa do Ponto.CE 2010:

CENTRO CULTURAL BANCO DO NORDESTE
Todos os dias exibições de vídeos do Festival Nóia no Hall de entrada do CCBNB

DIA 04 DE NOVEMBRO
Auditório 3º andar
12h00 às 14h00
– Rock.doc
Exibição do documentário “Rock City: A cena roqueira da Maracanaú” e conversa com realizadores.
Resumo: Vídeo sobre os personagens e a história do movimento rock no município de Maracanaú. Trata-se de um recorte da cena de rock que atua em Maracanaú, que se justifica pelo expressivo publico que acompanha esse segmento musical justificando assim o número de bandas que já surgiram no decorrer das últimas duas décadas.
14h00 às 16h00 – Bate-papo sobre “Experiências de associativismo e redes colaborativas na música” – Amaudson Ximenes, Lucas Gurgel, Felipe Ferreira e Thais Andrade

Auditório – 2º andar
16h às 16h40 - VERONA (CE)
17h às 17h40 - TUBO NA BATERA (CE)
18h às 19h00 - BLACK DRAWING CHALKS (GO)

DIA 05 DE NOVEMBRO
Auditório 3º andar
12h00 às 14h00 – Rock.doc
Exibição do documentário “Arte in Foco” e conversa com realizadores.
Resumo: Vídeo sobre a cultura e os grupos culturais do Município de Maracanaú. Um pouco da história de grupos artísticos nas mais variadas vertentes com atuação no município de Maracanaú alguns deles com mais de 15 anos de existência envolvendo teatro, dança e tantas outras manifestações culturais.

Hall de Entrada
15h00 às 15h45
– Tarde de autógrafos com a banda Hevo 84 (SP)

Auditório – 2º andar
16h às 16h40 - FACADA (CE)
17h às 17h40 - MY FAIR LADY (CE)
18h às 19h00 - MERDA (ES)

DIA 06 DE NOVEMBRO
Auditório 3º andar
12h00 às 14h00 – Rock.doc
Cabeça Metal – O retrato dos headbangers cabeça chata e conversa com os realizadores Resumo: O metal é hoje um estilo de vida consolidado em Fortaleza, onde existem vários adeptos, chamados headbangers. O documentário investiga o aparecimento do estilo na cidade, traçando um retrato dos pioneiros do estilo em Fortaleza.
14h00 às 16h00 – Bate-papo sobre “Experiências com turnês no exterior” - Ricardo Leão - The River Raid (PE), Talles Lucena - Full Time Rockers (CE), Orlângelo Leal - Dona Zefinha (CE), Bruno Gabai - S.O.H (CE) e Lucas Gurgel – roadie da turnê SOH (CE)

Auditório – 2º andar
16h às 16h40 - DAGO RED (CE)
17h às 17h40 - INFLAME (CE)
18h às 18h40 - CLAMUS (CE)

ANFITEATRO DRAGÃO DO MAR
DIA 05 DE NOVEMBRO

•IVAN TIMBÓ (CE)
•BAQUE LIRICO (CE)
•JONNATAN DOLL & OS GAROTOS SOLVENTES (CE)
•ARSENIC (CE)
•HEVO 84 (SP)
•BUMBACLAT (CE)
•HUMANA (CHILE)
DIA 06 DE NOVEMBRO
•LOBO DO ASFALTO (CE)
•FULL TIME ROCKERS (CE)
•PIRON HERON (CE)
•GARAGE FUZZ (SP)
•SELVAGENS À PROCURA DE LEI (CE)
•CAPONES (CE)
•MARKY RAMONE’S BLITZKRIEG (USA
fonte: caldeirão das artes

Federico Garcia Lorca inspira espetáculo sobre as angústias e os anseios femininos - SP

foto de Thiago Russi
Estreia dia 6 de novembro de 2010, no Espaço Os Fofos Encenam (Rua Adoniran Barbosa, 151 – Bela Vista – São Paulo/SP) um dos espetáculos mais premiados na Bahia no ano de 2008: Silêncio, dirigido por Fabiana Monsalú, que levou os troféus de melhor ator, atriz coadjuvante, direção e espetáculo do Prêmio Brasken de Teatro, considerado como um dos mais importantes prêmios da área na Bahia.
A peça tem como pano de fundo a obra do escritor Federico Garcia Lorca, focando principalmente no que os textos Bodas de Sangue, Yerma e A Casa de Bernarda Alba tem em comum: as angústias e os anseios femininos, que refletem os conflitos universais.

Em Silêncio, três atrizes exploram uma mesma mulher com suas respectivas vertentes, muitas vezes opostas umas às outras. O fio condutor para esta abordagem é o silêncio, íntimo e pessoal, onde ressoam tempestades, segredos e sons incontroláveis, que explodem em revelações transformadoras, deflagrando, também, a autorrepressão de cada indivíduo. O encontro gerado pela identificação direta do público com os “silêncios” revelados em cena cria situações de espelhamento, tornando o espectador coautor da obra.
“Um espaço construído de forma circular, fechado com cortinas de plástico transparente, criando um espaço irreal, preenchido de som. As atrizes permanecem dentro da estrutura, como que presas e também se tornam parte do espaço/ instalação. O conceito utilizado para a implantação do espaço de encenação é o de instalação, utilizado pelas artes plásticas. O que é e pode ser penetrável. Ele não se propõe ser meramente ilustrativo ou representativo. Em sua proposição poética, convida o espectador a se deixar atravessar por ele enquanto materialidade, escultura sonora. O espaço propõe um jogo que as atrizes são obrigadas a jogar. É provocativo em sua espacialidade, pelo lugar que ocupa dentro da escritura cênica. Aqui, o espaço também se torna texto e linguagem”.
Ficha Técnica:
Dramaturgia: Teatro D’Adega Direção e Encenação: Fabiana Monsalú Atrizes Criadoras: Elis Meneses, Fernanda Gama e Paula Bega Iluminação: Cizo de Souza Direção de Arte: Lucas Fabrizzio e Melissa Rudalov Trilha Original: Antonio Novais Produção Executiva: Teatro D’Adega e CZ Produções Realização: Núcleo Teatro D’Adega e CZ Produções
Silêncio
Temporada: de 6 de novembro a 12 de dezembro de 2010
Horário: Sábado 21h, Domingo 19h
Local: Espaço Os Fofos Encenam - Rua Adoniran Barbosa, 151 – Bela Vista – São Paulo/SP
Fone para informações: 11 3101.5003 – 3101.6640
Classificação Etária: 14 anos Duração: 60 minutos

fonte: Canal Aberto

"O Clã do Urso da floresta" em leituras dramáticas nas bibliotecas públicas - SP

clique na imagem para ampliar
Maiores informações: www.bibliotecas.sp.gov.br
fonte:SMC - bibliotecas