EVOÉ BACO!!!

BEM-VINDO AO BACANAL DAS ARTES!

UM CANAL PARA INTERAÇÕES, DISCUSSÕES, INDICAÇÕES DE TRABALHOS ARTÍSTICOS, CURIOSIDADES E AFINS...

COMENTEM E INTERAJAM!!!

ps: A imagem de apresentação do Blog foi criada por MARCIO BENVENUTO. Cada letra do nome do blog é formada por uma imagem corporal feita por dois artistas de nomes desconhecidos.

9 de jun de 2010

Garcia Lorca em conferência teatral no Teatro Arthur Azevedo a preços populares

(Clique na imagem para ampliar)
Estará em cartaz neste final de semana, no Teatro Arthur Azevedo, o espetáculo teatral "Federico Garcia Lorca: Pequeno Poema Infinito", com o premiado ator José Mauro Brant. A peça, com direção de Antonio Gilberto e dramaturgia do próprio e de José Mauro Brant, tem como personagem central o poeta e dramaturgo espanhol Federico García Lorca (1898 – 1936), interpretado por Brant (Indicado para o prêmio Shell 2007 na categoria melhor ator).

O espetáculo foi criado a partir de uma conferência de Lorca realizada em 1933, chamada “Como Canta Uma Cidade de Novembro a Novembro”, quando o poeta fala de sua terra natal, Granada. Através da descrição do movimento contínuo das estações do ano, do folclore musical, das tradições do povo e das paisagens, Lorca revela suas mais marcantes experiências como artista e cidadão granadino.

Em suas famosas conferências, Lorca encantava os salões utilizando-se de poemas e impressões sobre o folclore musical espanhol, que conhecia profundamente, cantando e executando com habilidade o piano.

O roteiro foi criado a partir de pesquisa que uniu o texto da conferência a textos inéditos do poeta, fragmentos de entrevistas, poemas e canções, traduzidos especialmente para o espetáculo pela poeta Roseana Murray. O resultado é uma dramaturgia construída exclusivamente por palavras do próprio Lorca que, transitando entre o poético e o coloquial, narra suas lembranças, vivências, sonhos e motivações.

Serviço:
DIAS 11 e 12 de junho(sexta e sábado), às 21h.
Duração 70 mintos
Classificação 12 anos
Ingressos R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia (preços populares)
Informação: 3218.9900
Realização: Moraes Jr. Produções
fonte: Moraes Jr.

4 de jun de 2010

Única apresentação!


Apresentação beneficente do espetáculo maranhense premiado pelo Circuito Nacional SESC Amazônia das Artes 2010 com circulação por 7 Estados do Brasil:

As Cores de Frida

do Núcleo Atmosfera de Dança-Teatro

com a direção de Leônidas Portella

A renda do espetáculo será revertida em prol do tratamento de saúde do maestro Francisco Jara.

dia 06 de junho de 2010, às 19:00h

no Teatro Arthur Azevedo - São Luis-MA

ingressos a preço único de R$ 20,00

Informações: (98) 8813-0222 (Rosa Ewerton Jara)

Última apresentação de O HOMEM PROVISÓRIO em São Luis-MA. IMPERDÍVEL!!!


O HOMEM PROVISÓRIO - Premiado espetáculo dirigido por Cacá Carvalho e Roberto Bacci, baseado em Grande Sertão Veredas de Guimarães Rosa, está em curta temporada, desde ontem, em São Luís com o patrocínio da Petrobras.

A peça é um projeto do grupo CASA LABORATÓRIO PARA AS ARTES DO TEATRO, que surgiu através de um intercâmbio com a Fundação Pontedera de Teatro (Itália).
A história traz experiências de um último jagunço em uma noite angustiante no sertão. A montagem é resultado do processo de pesquisa e experimentação dramatúrgica dos integrantes da CASA LABORATÓRIO no sertão do Cariri, no Ceará. A saga é contada em versos de cordel, encomendados ao poeta Geraldo Alencar, parceiro de Patativa do Assaré.

ÚLTIMA APRESENTAÇÃO
HOJE - 04/06 às 20h
Teatro Alcione Nazareth (Centro de Criatividade Odylo Costa, filho) - Centro - São Luis-MA
R$ 15,00 (meia para estudantes e com o cartão Petrobrás)

Ficha Técnica

O Homem Provisório
Texto: Geraldo Alencar
livremente inspirado em Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

Direção Artística do projeto e do espetáculo: Cacá Carvalho
Co-direção Artística do projeto e do espetáculo: Roberto Bacci

Elenco: Daniel Ribeiro, Joana Levi, Juliana Grave, Laila Garin, Leonardo Ventura, Maurício Mascarenhas, Marcelo Valente e Raquel Tamaio
Assistente de direção: Joana Levi

Desenho de Luz: Fábio Retti
Cenário e Figurinos: Márcio Medina
Preparação e partitura vocal: Francesca Della Monica
Primeiro tratamento de texto: Cacá Brandão
Caracterização / Cabeças: Vavá Torres
Xilogravuras: Nilo
Construção de Rabecas: Di Freitas
Documentação da expedição ao Cariri: Massimo Vardastro
Coordenação do projeto e expedição: Carla Polastrelli
Consultoria de projeto: Luca Dini
Adereços: Cristina Decot e Silvana Marcondes

fonte: Imira Brito

2 de jun de 2010

Festa Sarau no Laborarte - São Luis/MA

Sarau de Bailados no Laborarte encerra temporada nesta sexta-feira, dia 04 de junho, com Rosa Reis e participação especial do forró pé de serra "Arroz com tudo dentro".
Côco, ciranda, cacuriá, jongo, caroço, bumba boi, quadrilha, divino, maracatu, lelê, tambor de crioula, carimbó e outros brinquedos populares.

Sexta 04/06 a partir das 22h.
Ingressos: R$ 5,00
Laborarte - Rua Jansen Muller, 42 - Centro - São Luis-MA
Tel. 3231-2725
fonte: Rosa Reis

Ballet Stagium dança Luiz Gonzaga no Rio com entrada franca

(clique na imagem para ampliar)

A companhia paulista BALLET STAGIUM estréia no dia 3 de junho, na CAIXA Cultural Rio de Janeiro, a curtíssima temporada do espetáculo “MANÉ GOSTOSO”. A peça homenageia um dos ícones de nosso país, o pernambucano Luiz Gonzaga, ao realizar uma leitura moderna da cultura popular do Nordeste, com direção teatral de Marika Gidali e coreografias de Décio Otero.

A trilha sonora, tocada pelos pujantes acordes do consagrado Quinteto Violado, é composta pelas músicas: “Asa Branca” e “Assum Preto”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira; “Forró de Mané Vito” e “P’ronde tu vai Luiz?”, de Luiz Gonzaga com Zé Dantas; “Sete Meninas”, de Toinho Alves e Dominguinhos; “Dona Aninha”, de Toinho Alves e Roberto Santana; “Hino da Ceroula”, de Milton Bezerra de Alencar; e “Vida”, de Dudu Alves.

O título “Mané Gostoso” é uma alusão ao boneco feito em madeira (brinquedo infantil facilmente encontrado nas feiras nordestinas) e que tem pernas e braços movimentados por meio de cordões. “São momentos de intensa atividade musical e de coreografias vigorosas, expressas nos corpos dos bailarinos, envolvendo a platéia em interpretações diferenciadas do universo regional”, explica a diretora Marika Gidali.

Genuinamente nacional e de forte identidade nordestina, a montagem é resultado da união entre as raízes brasileiras, interpretadas pela dança da companhia paulista Ballet Stagium, marcada pelo bom-humor, pela grandeza poética e, ao mesmo tempo, pela simplicidade. “Achamos por bem unir a música do Quinteto Violado que, como o Stagium, comemora 39 anos em prol da dança e da música brasileiras”, diz Décio Otero.

As apresentações acontecem de 3 a 6 de junho (de quinta a domingo), com entrada franca.
fonte: Ney Motta e Overmundo.

Cena Aberta encena texto de Aldo Leite em São Luis

(Clique na imagem para ampliar)

O Grupo de Pesquisa Teatral Cena Aberta estará em cartaz de 03 a 06 de junho, no Circo Cultural Nelson Brito (Circo da Cidade) no Aterro do Bacanga, com o ABC IN PROCESSO, texto de Aldo Leite e adaptação e direção de Luiz Pazzini, ambos professores do Departamento de Artes da UFMA. O projeto do Cena Aberta, foi agraciado pela FUNARTE: Prêmio Myriam Muniz de Teatro – 2009.
O texto é uma metáfora política-teatral da década de setenta, momento histórico traumático vivido pelo povo brasileiro – a ditadura militar. Para falar da paralisia e o amordaçamento em que estávamos mergulhados, Aldo Leite, retoma o passado brasileiro do Período Imperial Brasileiro, colocando em cena personagens históricos, como Arthur Azevedo, João Lisboa, Gonçalves Dias e Maria Firmina dos Reis que dialogam com a mais ilustre homenageada do momento pelo Secretário da Cultura do Maranhão - Camila Calazans – personagem fictícia, uma pseudo-intelectual, recentemente morta. Os ilustres maranhenses ficam revoltados com o descompromisso da mais nova recém-chegada à Pç. do Pantheon, de onde foram retirados seus bustos, pois estavam sendo depredados.
O Cena Aberta está lançando a Campanha: POR UMA EDUCAÇÃO ESTÉTICA NA UFMA, neste sentido, estará disponibilizando 100 ingressos em cada sessão. A campanha abrange todos os seguimentos da UFMA: Docentes, Discentes, Técnicos Administrativos e Funcionários da SERVSAN. Os interessados deverão retirar seus ingressos com antecedência, na portaria do Circo, a partir das 17 h, sempre no dia em que os (as) interessados quiserem assistir o espetáculo.
Serviço:
ABC IN PROCESSO
Dias: 03 e 04 às 16h (escolas) e às 20h
Dias: 05 e 06 às 19h
Local: Circo Cultural Nelson Brito (Circo da Cidade) - Aterro do Bacanga - São Luis-MA
Ficha técnica:
Texto: Aldo Leite
Adaptação e Direção: Luiz Pazzini
Elenco (Cena Aberta): Carlos Costa, Dayana Roberta, Enilde Diniz, Luiz Pazzini, Patrícia Arantes e Rose Coreira.
Artista Visual: Adrianna Karlem.
Trilha Sonora: Márcio Glam e Eduardo Medeiros.
Iluminação: Jardel Martins e Alterdã Garcia.
Filmagem e fotografia: Paulo Socha.
Apoios: UFMA e Rollings Sports - SP.
Telefones de contato: 3301-8304/9129-6892 (Pazzini) / 9163-6252 (Enilde)
9148-4550 (Rose Coreira)
fonte: Rose Coreira

Aberta as inscrições para o Festival da Diversidade Cultural - Tangolomango 2010


Até o dia 12 de junho, estão abertas as inscrições para a 9ª edição do Tangolomango 2010 – Festival da Diversidade Cultural, iniciativa que reúne grupos populares brasileiros e internacionais, para participar de intercâmbios que resultam em uma apresentação única de música, dança e circo, promovendo a diversidade cultural e a preservação, a integração, a renovação e a recombinação dessa diversidade.
O Festival, que na edição de 2009, aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, será realizado no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura em Fortaleza - CE.
Podem participar pessoas jurídicas, não-governamentais e sem fins lucrativos, religiosos ou políticos, com projetos que sejam inovadores, promovam o fortalecimento da identidade e da diversidade sócio-cultural de crianças e jovens, gerem impactos sociais e culturais mensuráveis na comunidade em que atuam, e estejam trabalhando na perspectiva da produção colaborativa ou manifestem desejo de trocar experiências.

Mais informações poderão ser obtidas no site www.tangolomango.com.br

Inscrições abertas para o XVII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga

(Para maiores informações e regulamento, clique na imagem)
A organização do XVII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga está recebendo propostas de espetáculos que queiram participar, tanto da Mostra Nordeste, quanto da Mostra Paralela, que acontecerá de 04 a 11 de setembro de 2010 em Guaramiranga - CE.
As inscrições para a Mostra Nordeste podem ser feitas até o dia 30 de junho, enquanto a da Mostra Paralela, até o dia 10 de julho no site da Associação dos Amigos da Arte de Guaramiranga - AGUA.
fonte: Clowns de Shakespeare (Desembucha nº 55)

1 de jun de 2010

O Mambembe de Arthur Azevedo estréia amanhã no Rio de Janeiro

Clique na imagem para ampliar

Atores são agredidos ao encenarem espetáculo de rua no Ceará

Atores de Rãmlet Soul são agredidos com a conivência e estímulo de policiais.

O espetáculo Rãmlet Soul, que esteve em cartaz ao longo do mês de maio no Theatro José de Alencar, sofreu de violência física e verbal, nesta terça-feira (25/05), pouco depois das 18h, sob estímulo e conivência de PMs. Os atores Junior Barreira, Saymon Moraes e Sol Mouffer foram agredidos e o ator George Alexandre e o músico Saulo Raphael ameaçados durante a apresentação da primeira parte da peça, que ocorre na Praça José de Alencar.

Inicialmente, os PMs (de nomes Geraldo, França e Lacerda) abordaram os atores de modo truculento, abusivo e confrontador, alegando que não podiam estar na rua, interpretando seus papéis de michês, apenas de toalha, o que configuraria “atentado ao pudor” – nas seis apresentações no TJA e dez apresentações na Praia de Iracema, bem como em sua participação em festivais, o espetáculo jamais teve problemas similares. Os policiais exigiram que os atores se retirassem da praça, onde a peça iniciava a penúltima apresentação desta temporada. Os atores reivindicaram por seu direito de trabalho em espaço público. Os PMs, cada vez mais agressivos, insistiram que aquilo não era trabalho, mas sim "sem-vergonhice”. Um deles, o mais velho, quando questionado pelo ator George Alexandre sobre sua postura, ameaçou-o com expressões do tipo: “não tenho medo de nada; eu nasci foi pra morrer”. O policial, abusando de suas atribuições e de sua função pública, foi aglomerando os transeuntes da praça em torno dos atores da peça, em mobilização contra o elenco (temos este registro em vídeo). Pouco depois, sob esse clima tenso, numa das cenas da peça em que os michês, em triste paródia da vida real, são expulsos de seus pontos e correm acossados, um dos PMs, novamente o mais velho, insuflou transeuntes e deu a ordem contra o elenco: “mostra pra eles o que é teatro”. Armados de porretes e de facas, os agressores aplicaram socos, tapas e pontapés nos atores Junior Barreira e Saymon Morais. Dois outros atores da peça, Yasmin Elica e Jhon Jonas, presenciaram o momento em que o policial instigou tal agressão. A atriz da peça, Sol Mouffer, também próxima da confusão, em cena que carrega uma pedra na mão (parte do espetáculo já tantas vezes apresentada naquele espaço), foi agarrada pelo braço por um dos policiais, que, “pressupôs” que ela iria agredi-lo com o objeto. Finalmente, após a violência sofrida (sob ameaças de ser furado à faca pelos agressores), o ator Junior Barreira, ignorando que partira da polícia o comando para atacá-lo, procurou o referido efetivo policial para queixar-se do que aconteceu, e obteve esta resposta de um dos PMs: “Defender você? Não estou aqui pra lhe defender. Isto que você faz é uma baitolagem. Você mereceu". Situação que justificou as lágrimas do ator, abalado como outros artistas da peça que também sofreram agressão, incluindo o músico Saulo Raphael, que, por tentar proteger os atores da situação de perigo, fora “jurado” pelos agressores, em promessa de violência para a apresentação seguinte, nesta quarta-feira, dia 26/05. Fato que justificou que Rãmlet Soul encerrasse a temporada do TJA sob proteção de - outra - escolta policial, solicitada pela direção do teatro, num deplorável quadro de "polícia protegendo da polícia".

A “baitolagem” a que se referiu o pm instigador da agressão aos atores, e que, na sua visão, justifica tanta violência, faz parte de um espetáculo premiado nacionalmente, pela Funarte/Petrobras, bem como pela Prefeitura de Fortaleza, tendo obtido repercussão em dezenas de veículos de comunicação e que, apenas três dias antes, havia lotado o Porão do Theatro José de Alencar em plena meia-noite.

Rãmlet Soul é uma peça que procura se inserir no que a cidade é, de fato.
Será por isso que a polícia mandou bater?

Thiago Arrais
(diretor do RÃMLET SOUL)
fonte: artescenicasma (Google Groups)
Maiores informações e críticas sobre o espetáculo, clique aqui