EVOÉ BACO!!!

BEM-VINDO AO BACANAL DAS ARTES!

UM CANAL PARA INTERAÇÕES, DISCUSSÕES, INDICAÇÕES DE TRABALHOS ARTÍSTICOS, CURIOSIDADES E AFINS...

COMENTEM E INTERAJAM!!!

ps: A imagem de apresentação do Blog foi criada por MARCIO BENVENUTO. Cada letra do nome do blog é formada por uma imagem corporal feita por dois artistas de nomes desconhecidos.

26 de nov de 2012

TEATRO COMO POLÍTICA E DIREITOS HUMANOS

Tiago Andrade como Negro Cosme - foto de arquivo do grupo
O Grupo Cena Aberta apresentará fragmentos do Experimento teatral: NEGRO COSME EM MOVIMENTO na 7ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, na próxima quarta-feira (28/11/2012) por volta das 18:30h, entre a sessão de cinema das 17h e 19h no Teatro Cidade de São Luís. E as 19h, do mesmo dia, no Seminário - A Reinvenção da Política: Contribuições da Educação, no Jardim Interno da Entrada Principal do CCH/UFMA. 

Esse trabalho em andamento (work process) faz parte do Projeto CARAS PRETAS EM MOVIMENTO que terá continuidade de experimentações teatrais nos próximos dois anos. A pesquisa versa sobre as questões afrodescendentes, com foco nas Estações da Balaiada, tema recorrente na vertente central do grupo à dez anos. 

A proposta da encenação é penetrar nas camadas obscuras da história e levantar hipóteses sobre a veracidade da historiografia oficial que não dá conta do fato como todo, e muitas vezes deixa em aberto ou esconde outras possibilidades de interpretar a nossa história (do Maranhão e do Brasil) . A manipulação da memória coletiva faz parte da estratégia do poder, que mantém a opinião pública na unilateralidade da reflexão, direcionado o foco para os heróis que na verdade massacraram os ideais de liberdade e justiça de nosso povo. 

“Não temos dono! Quem tem dono é cachorro. O Maranhão não tem dono. Não tem dono o Maranhão” (Fala de Negro Cosme in Caras Pretas de autoria do dramaturgo maranhense Igor Nascimento).

Anjo Infeliz com Brenda Oliveira, Carla Purcina e Ligia Cruz - foto de Taciano Brito

Segundo o Grupo, a apresentação do fragmento do espetáculo NEGRO COSME EM MOVIMENTO dentro da Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, é de tamanha importãncia para a firmação do Teatro como transformador social,  porque a responsabilidade com a temática abordada neste experimento corresponde aos anseios dos povos afrodescendentes do Maranhão, Brasil e América do Sul, pois Negro Cosme foi um líder popular que lutou pelos direitos humanos em prol da libertação dos negros, vaqueiros e índios escravizados no século XIX. 

Apesar de o recorte histórico situar-se no período imperial brasileiro, acredita-se como Heiner Müller que “Ao contrário da tendência geral, aquilo que uma vez foi pensado, aquilo que se desejou, e o que foi tentado, não seja esquecido”, o que torna contemporânea a discussão ao questionarmos se hoje não somos “escravos de novo tipo”, com a mudança apenas de máscara do poder, como diz João Francisco Lisboa: “É sempre o mesmo teatro, com guarda-roupa e cenário novo, e repertório retocado e acomodado ao sabor dos tempos”. 

No mesmo dia, às 19:00 hs, no Centro de Ciências Humanas, o mesmo experimento será apresentado no Seminário A REINVENÇÃO DA POLÍTICA: Contribuições da Educação, por acreditarem que as atividades extensionistas de seu projeto, possui este caráter formador político, ético e estético de seus educadores e artistas da futura cena maranhense. 

Encerrando as atividades de 2012, o CENA ABERTA ainda participará do XII Encontro Humanístico do CCH, com comunicações orais sobre corpo e performance, e com apresentação no dia 06 de dezembro, às 18:30 horas, em diversos locais onde acontecerá o tradicional evento tradicional evento do Centro de Ciências Humans. Nesta apresentação, o Cena Aberta terá a honra de estar em cena com os alunos do Grupo de Teatro do CEMMM - Centro de Ensino Prof. Mario Martins Meireles - Pedrinhas, coordenado pelo prof. Luís Antonio Freire, companheiro de luta por um teatro de “efeito”, onde a reflexão política, faz parte da formação dos jovens.

A “pesquisa, encenação, experimento, performance/intervenção, formação em MOVIMENTO” faz parte da idéia que gesta no PENSAR-FAZER TEATRO do grupo. Essas idéias estão explicitadas na Teoria Genética dos Processos Criadores, muito utilizada nas Artes na Contemporaneidade. Não trabalhando com conclusões finalistas, mas com reflexões que abrem-se sempre em outros questionamentos, pois espaços diferenciados propiciam leituras também diversas, o que enriquece a percepção e a imaginação do espectador, lançando-o em um espaço onde ele terá por obrigação escolher o melhor lugar para assistir o espetáculo, podendo ele, inclusive mudar o foco de sua atenção para um outro ponto estratégico da área delimitada pela encenação. Assim, acredita-se que este seja um outro caminho para levar o espectador do futuro a fazer também escolhas, assumir junto com o grupo, a responsabilidade das transformações que todos desejamos para a nossa sociedade. A lei da perspectiva central amplia-se, e se o olhar pode buscar um outro ângulo para ver, a percepção também pode ser mudada e flexionar o espírito do espectador para uma aprendizagem menos diretiva e centralizadora, como tem acontecido no teatro tradicional, em dois séculos de domínio quase absoluto. O movimento das transformações sociais sempre iniciaram pelas margens, pois é nas margens que existe movimento. O centro hierarquiza funções e impede o movimento transformador. 

"Estamos reinventando o futuro, somos fragmentos do futuro em gestação, e o que mais nós necessitamos é de um público co-produtor, partícipe da cena, que leve para casa as idéias que o Teatro sempre soube tão bem insuflar nos espíritos educados para que estes possam contribuir para as transformações necessárias que nossa sociedade tem urgência de ver realizadas" Cena Aberta

SERVIÇO
Fragmentos do Experimento teatral: NEGRO COSME EM MOVIMENTO
GRUPO CEN ABERTA
Dia: 28/11/2012 (quarta-feira)

na 7ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul por volta das 18:30h, entre a sessão de cinema das 17h e 19h no Teatro Cidade de São Luís.

no Seminário - A Reinvenção da Política: Contribuições da Educação, às 19h no Jardim Interno da Entrada Principal do CCH/UFMA.

Dia 06/12/2012 (quinta-feira)
no XII Encontro Humanístico do CCH, às 18:30 em diversos espaços do CCH/UFMA.

FICHA TÉCNICA 
Texto Dramatúrgico: Igor Nascimento 
Concepção Geral da Encenação: Luiz Pazzini 
Produção Geral: Cena Aberta 
Produção Executiva e Iluminação: Wagner Heineck 
Assistentes de Produção: Ligia Cruz e Rodrigo França 
Preparação Corporal: Ulisses Ferraz e Luís Ferreira 
Preparação de canto e composição musical: Nuno Liláh Lisboa 
Contra-Regra e Operação de Luz: Alterdã Cutrim 
Designer Gráfico: Dinho Araujo 
Elenco: Brenda Oliveira, Carla Purcina, Fernando Nascimento, Ligia Cruz, Luis Ferreira (Petit Mort), Marcelo Lopes, Nuno Lilah Lisboa (Petit Mort), Tiago Andrade, Tieta Macau, Victor Silper e Ulisses Ferraz.

23 de nov de 2012

7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul - São Luis - MA


O objetivo principal da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é estabelecer um diálogo franco e direto com o povo brasileiro sobre seus direitos fundamentais. Mais do que assistir a filmes, trata-se de um convite ao debate, à reflexão, para construirmos juntos um país que valorize a diversidade e garanta o respeito aos Direitos Humanos.

A Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é fruto de uma parceria com o Ministério da Cultura; por meio da Cinemateca Brasileira, recebe o patrocínio da Petrobras e apoio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e dos governos locais, além da importante mobilização dos movimentos e redes de Direitos Humanos em todo o Brasil. Este ano foram 255 filmes inscritos e 37 selecionados.

Presente nas 27 capitais do País desde o ano passado, a sétima edição traz como novidades o Cine Direitos Humanos na Rua e o Cine Direitos Humanos Itinerante, que chegam com o intuito de popularizar e descentralizar as exibições dos filmes, alcançando uma parcela da população brasileira que historicamente não tem acesso às salas de cinema.

Dia 28/11 às 13h exibição de: Vestido de Laerte - Claudia Priscilla, Pedro Marques (Brasil, 13 min., 2012, fic.).
Confira a PROGRAMAÇÃO:

7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul
Teatro da Cidade de São Luís (antigo Cine Roxy)
265 lugares + 3 cadeirantes
Rua do Egito, 244 – Centro
São Luis - MA
ENTRADA FRANCA



25.11 | Domingo
19h – Sessão de Abertura
O Cadeado - Leon Sampaio (Brasil, 12 min., 2012, fic.)
A Galinha que Burlou o Sistema - Quico Meirelles (Brasil, 15 min., 2012, doc./fic.)
Menino do Cinco - Marcelo Matos de Oliveira, Wallace Nogueira (Brasil, 20 min., 2012, fic.)
A Fábrica - Aly Muritiba (Brasil, 16 min., 2011, fic.)
Classificação indicativa: 12

26.11 | Segunda-feira
13h
Olho de Boi - Diego Lisboa (Brasil, 19 min., 2011, fic.)
Funeral à Cigana - Fernando Honesko (Brasil, 15 min, 2012, fic.)
Carne, Osso - Caio Cavechini, Carlos Juliano Barros (Brasil, 65 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

15h
O Fio da Memória - Eduardo Coutinho (Brasil, 115 min., 1991, doc.)
Classificação indicativa: livre

17h
Elvis & Madona - Marcelo Laffitte (Brasil, 105 min., 2010, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

19h
Marighella - Isa Grinspum Ferraz (Brasil, 100 min., 2012, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

27.11 | Terça-feira
13h
Virou o Jogo: A História de Pintadas - Marcelo Villanova (Brasil, 15 min., 2012, doc.)
Chocó - Jhonny Hendrix Hinestroza (Colômbia, 80 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 16 anos

15h
O Garoto que Mente - Marité Ugás (Venezuela, 99 min., 2011, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

17h
Menino do Cinco - Marcelo Matos de Oliveira, Wallace Nogueira (Brasil, 20 min., 2012, fic.)
Maria da Penha: um Caso de Litígio Internacional - Felipe Diniz (Brasil, 13 min., 2011, doc.)
Silêncio das Inocentes - Ique Gazzola (Brasil, 52 min., 2010, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

19h
Com o Meu Coração em Yambo - María Fernanda Restrepo (Equador, 137 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

28.11 | Quarta-feira
13h
Disque Quilombola - David Reeks (Brasil, 14 min., 2012, doc.)
Vestido de Laerte - Claudia Priscilla, Pedro Marques (Brasil, 13 min., 2012, fic.)
A Galinha que Burlou o Sistema - Quico Meirelles (Brasil, 15 min., 2012, doc./fic.)
O Veneno Está na Mesa - Silvio Tendler (Brasil, 50 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

15h
Porcos Raivosos - Isabel Penoni, Leonardo Sette (Brasil, 10 min., 2012, fic.)
O Cadeado - Leon Sampaio (Brasil, 12 min., 2012, fic.)
Dez Vezes Venceremos - Cristian Jure (Argentina, 75 min., 2011, doc.)
Classificação indicativa: 16 anos

17h
Juanita - Andrea Ferraz (Brasil, 8 min., 2011, doc.)
O Dia que Durou 21 Anos - Camilo Tavares (Brasil, 77 min., 2012, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

19h
Estruturas Metálicas - Cristian Vidal L. (Chile, 47 min., 2011, doc.)
Saia se Puder - Mariano Luque (Argentina, 66 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos



29.11 | Quinta-feira
13h – Sessão de Audiodescrição
Extremos - João Freire (Brasil, 24 min., 2011, doc.)
À Margem da Imagem - Evaldo Mocarzel (Brasil, 72 min., 2003, doc.)
Classificação indicativa: 10 anos

15h – Sessão de Audiodescrição
Santo Forte - Eduardo Coutinho (Brasil, 80 min., 1999, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

17h
Batismo de Sangue - Helvécio Ratton (Brasil, 110 min., 2006, fic.)
Classificação indicativa: 14 anos

19h
Justiça - Andrea Ruffini (Bolívia / Itália, 34 min., 2010, doc.)
Último Chá - David Kullock (Brasil, 97 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 12 anos

30.11 | Sexta-feira
13h
Uma, Duas Semanas - Fernanda Teixeira (Brasil, 17 min., 2012, fic.)
A Demora - Rodrigo Plá (Uruguai / França / México, 84 min., 2012, fic.)
Classificação indicativa: 10 anos

15h
Cachoeira - Sérgio Andrade (Brasil, 14 min., 2010, fic.)
Classificação indicativa: 16 anos

17h
Cabra Marcado para Morrer - Eduardo Coutinho (Brasil, 119 min., 1984, doc.)
Classificação indicativa: 12 anos

19h
A Fábrica - Aly Muritiba (Brasil, 16 min., 2011, fic.)
Hoje - Tata Amaral (Brasil, 87 min., 2011, fic.)
Classificação indicativa: 14 anos

Maiores informações no site da Mostra .

fonte: Francisco Colombo

16 de nov de 2012

EXPOSIÇÃO IPHAN - SÃO LUIS DO MARANHÃO: RUAS, BECOS E SOBRADOS DE LISBOA NO BRASIL - MA



Abaixo segue um avant premiere da referida exposição, e também, uma Evocação à Espanha Iluminista através de vários desenhos entre eles o Museu del Prado, Catedral de Pamplona e Iglesia de Caballero de Gracia. Música com o Coral da Capilla de Música da Catedral de Pamplona, maestro Aurelio Sagaseta.


Fonte: Katia Bogea - Iphan/MA

Dia Nacional da Consciência Negra tem vasta programação em São Paulo - SP


fonte: Fundação Palmares

12 de nov de 2012

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CONTRABAIXO INVADE SÃO LUIS -MA


A ilha de São Luis será mais uma vez "invadida" por toda a musicalidade de contrabaixistas de nomes conceituados no cenário local, nacional e internacional, no maior evento do gênero no Brasil e um dos maiores no mundo.

O 4FIC'Z - Festival Internacional de Contrabaixo acontece de 13 a 17 de novembro de 2012, no Rio Anil Shopping, na Praça Nauro Machado e no Teatro João do Vale, com pocket shows, jam sessions, shows noturnos e oficinas. Na sua 4ª edição, o 4FIC'Z traz um espetáculo de som com mais de 30 músicos.

Estarão presentes baixistas de todo o Brasil (Celso Pixinga, Felipe Andreoli, Caçarola Orquestra de Baixos, Ronaldo Lobo, Sérgio Groove, Mauro Sergio, Luiz Rosa, entre outros, inclusive maranhenses) e dos Estados Unidos (Jim Stinnett, Grant Stinnet e Michael Manring ), que se juntam nessa festa que consagra a Ilha de São Luís como "a capital mundial do Baixo".

PROGRAMAÇÃO

DIA 13/11 
19h - SHOPPING RIO ANIL - Praça de Alimentação - GRÁTIS
Convidado 01
Convidado 02
Jonas Torres
Edson Cosmos
Luiz Rosa
Sérgio Groove
Grant Stinnett

DIA 14/11 
18h - TEATRO JOÃO DO VALE - Ingressos R$ 15 no Teatro ou nas lojas Ruach.
Paulo Pontes
Grant & Jim Stinnett
Celso Pixinga
20h - PRAÇA NAURO MACHADO - Centro Histórico - GRÁTIS
Nivaldo Fonteneles
Naftalis Bass
Davi Oliveira
Carlos Raqueth
Marcelo Randemarck
Convidados

DIA 15/11 
18h - TEATRO JOÃO DO VALE - Ingressos R$ 15 no Teatro ou nas lojas Ruach.
Vanilson Lindoso
Caçarola Orquestra de Baixos
Felipe Andreoli
20h - PRAÇA NAURO MACHADO - Centro Histórico - GRÁTIS
Jayr Torres 
Tiago Santos
Luiz Rosa
Convidados
Mauro Sérgio

DIA 16/11 
18h - TEATRO JOÃO DO VALE - Ingressos R$ 15 no Teatro ou nas lojas Ruach.
Jonas Torres
Aurélio Bonna
Marcelo Randemarck
Sérgio Groove
20h - PRAÇA NAURO MACHADO - Centro Histórico - GRÁTIS
Rafael Bruno
Fabrício Lemos
Lionel Almeida
Igor Redson
Ronaldo Lobo
Convidados

DIA 17/11 
19h - TEATRO JOÃO DO VALE - Ingressos R$ 15 no Teatro ou nas lojas Ruach.
Silas Duarte
Raimundo Santos
Caçarola Orquestra de Baixos
Jim, Grant Stinnett & Michael Manring

fonte: sistema difusora

8 de nov de 2012

Pedra da Memória conecta Brasil e Benin - SP

clique na imagem para conferir a programação
Mostra traz exposição fotográfica, show, livro, filme e rodas de conversa, propondo um diálogo sobre gêneros tradicionais entre esses dois países.

A Casa Fanti Ashanti, fundada em 1958 pelo babalorixá Euclides Talabyan, é hoje um dos centros afro religiosos mais importantes em atividade no Maranhão, referência da influência jeje-nagô no Brasil, e tema de estudos, teses e artigos de inúmeros pesquisadores em todo o país. Lá são cultuados os voduns trazidos do Benin, além dos orixás nagôs e diversas entidades surgidas no Brasil. Essa comunidade convive com símbolos, objetos, cânticos e rituais plenos de africanidade, onde a cultura jeje-nagô resiste, com raro vigor. Tendo se tornado Ponto de Cultura, em 2006, o intenso calendário de atividades da Casa inclui tradições sagradas e profanas, como o Tambor de Mina, Candomblé, Pajelança, Baião de Princesas, Samba Angola, Mocambo, Tambor de Crioula, de Taboca, Canjerê, Bumba meu Boi, Festa do Divino e outros. Pedra da Memória é fruto da memória de Euclides Talabyan, por intermédio da qual a história das religiões afro brasileiras no Maranhã pode ser reconstruída, além das transformações de suas brincadeiras populares e a geografia particular da ilha de São Luís, ao longo de sua ocupação. Essa memória não só o liga à presença milenar das entidades, que retornam em seu corpo-altar para fundamentar seu conhecimento e recriar sua religião em constante movimento, como se conecta em cadeia à memória de suas matriarcas, cujos relatos remontam ao século XIX.

Renata Amaral, a pesquisadora É coordenadora da Maracá Cultura Brasileira e do grupo a Barca, com quem realizou mais de 500 apresentações em dezenas de cidades brasileiras, além da América do Sul e Europa, nos projetos de circulação, registro e arte-educação. Desde 1991, viaja pelo Brasil formando um acervo de mais de 800 horas de registros audiovisuais e 15 mil fotos de tradições populares. Recebeu, em 2011, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Recebeu duas vezes o Prêmio Interações Estéticas da Funarte, realizando residências artísticas no Maranhão e no Benin, e frequentemente ministra cursos e oficinas com foco em Cultura Popular Tradicional nas escolas e universidades. Diálogos Brasil-Benin - roda de conversas com o Babalorixá

Euclides Talabyan, Babalorixá Euclides Talabyan: Nascido em 1937, foi iniciado aos 7 anos para o Vodun Lissá. Em 1958, fundou a Casa Fanti Ashanti, um dos centros afro religiosos mais importantes em atividade no Maranhão, referência da influência jeje-nagô no Brasil, que se tornou ponto de Cultura em 2006. É detentor de inúmeros prêmios, como a Ordem do Mérito Cultural (2001), a Ordem Timbira (1999) e o Prêmio Culturas Populares (2008-SID/do Ministério da Cultura). É autor de oito livros sobre cultura afro-brasileira: O Candomblé no Maranhão (1984), Orixás e Voduns em Cânticos Associados (1985), A Casa Fanti-Ashanti (1986), Tambor de Mina em Conserva (2001), Candomblé, a Lei Complexa (2002), Pajelança (2003), Álbum Fotográfico – Arquivo de um Babalorixá (2004), Jubileu de Ouro (2008) e Itan de Dois Terreiros Nagô (2010).

fonte: Maracá produções

6 de nov de 2012

6ª Semana de Cultura e Arte de Sumé agita a Paraíba - PB


“Antes que tudo se acabe” haverá arte, diversão e alegria! 
Isso é o que prometem os Calangos Livres, organizadores da festival de artes integradas seCas – Semana de Cultura e Arte de Sumé – que chega a sua sexta edição dentre os dias 7 a 11 de novembro próximo. É com descontração que o coletivo apresenta a 6ª seCas como a maior evento de artes integradas do cariri paraibano.  

Contemplado pelo programa Bnb de Cultura 2012 do Banco do Nordeste, a 6ª seCas ganhará maior estrutura e porte para expandir suas ações. Nesta mesma perspectiva, obteve parcerias importantes com a Prefeitura municipal de Sumé, Secretaria de cultura do governo estadual, Universidade Federal de Campina Grande, SESC Paraíba e Universidade Estadual da Paraíba. 

O festival contará com a seguinte estrutura de programação, distribuída em cinco dias: Quatro exposições de artes visuais em lugares públicos e privados; seis apresentações de teatro; três apresentações de artes circenses; nove apresentações musicais; quatro apresentações de dança; quatro exibições de cinema paraibano; uma roda de diálogo sobre políticas culturais e três oficinas nas áreas de Dança, Audiovisual e Artesanato. 

A seCas 2012 busca fortalecer seus laços com artistas e produtores, criando uma rede de articuladores culturais em prol do engrandecimento da cultura no estado da Paraíba. Assim, com maior representatividade no meio, consolida-se como o maior festival de artes integradas da região do cariri. A Semana de Cultura e Arte de Sumé é organizada pelo Coletivo Calangos Livres, atualmente composto por Allan Barros, Antônio Gomes, Daniel Queiroz, Ivandro Batista e Jean Queiroz.
PROGRAMAÇÃO 6ª SECAS CENTRO 
07/11 - Quarta-feira 
20h01 “De volta ao Picadeiro” - Grupo mambembe Los Iranzi (João Pessoa-PB)
Local: Praça José Américo
21h05 - Grupo de Dança Projovem Sumé
Local: Praça José Américo
22h01 - “Pingado de nós”- Grupo Ninho de teatro (Joazeiro do Norte-CE) – para maiores de 14 anos. Local: NEXT-UFCG
23h08 - "Serenata para Lua"- Jean Matos e Rodrigo Melo (trombone e piano)
Local: NEXT-UFCG
08/11 - Quinta-feira
20h00 - “João” – Associação Dança do Cariri-ADC (Juazeiro do Norte-CE)
Local: NEXT-UFCG
20h58 - Debate cultural 
Local: NEXT-UFCG
22h03 - CUCA - Coral Universitário do Cariri – UFCG, campus de Sumé
Local: NEXT-UFCG
23h02 - “Hoje tem munganga”, Grupo de teatro Stand-up Os Infames (Campina Grande-PB) Local: NEXT-UFCG
09/11 - Sexta-feira
19h07 - “Recital poético Cabeça de Rato” - Ciclo teatro de Sumé Local: NEXT-UFCG
20h00 - “Ritorno a Coralina”- Grupo teatral Arupemba (Campina Grande-PB)
Local: NEXT-UFCG
22h00 Palco musical seCas – Praça José Américo:
Sandra Belê (Zabelê-PB)
Zepelim e o Sopro do Cão (Campina Grande-PB)
 10/11 - Sábado 
19h59 - “Adorável Família”- Grupo Recreio Dramático (Areia-PB)
Palco musical seCas – Praça José Américo:
Banda Eddie (Olinda-PE) 
Local: NEXT-UFCG
21h01: Controle Remoto (Rio Tinto-PB)
Grupo Tirinete (Campina Grande-PB)
11/11 - Domingo 
20h00 - “Como se fosse (im)possível ficar aqui” Grupo de teatro Pinel (Campina Grande-PB)
Local: NEXT-UFCG
21h02 - “Boi de reis e dança circular” Grupo de dança folclórica do SESC (João Pessoa-PB)
Local: Praça José Américo
22h06 - Palco musical seCas – Praça José Américo:
Varal de Cabaré (Campina Grande-PB)
Banda Sete Ervas (Campina Grande-PB)

Exposições – Durante todo o dia. Locais: NEXT-UFCG e Praça José Américo:
“Munganga” – Agencia ensaio (João Pessoa-PB)
“Cabeça de lagartixa” – Agencia ensaio (João Pessoa-PB) 
“Vistas da cidade” – Alexander Henry Walbrohl (Coblença – Alemanha)
“Panorama de sumé” – Jean Queiroz (Sumé-PB)

ZONA RURAL – HORÁRIO de todos os dias: 18h33 
07/11 - “Hoje tem Munganga”, teatro Stand-up Os Infames (Campina Grande-PB)
Local: Sítio Pitombeira
08/11 - “De volta ao Picadeiro”, Grupo mambembe Los Iranzi (João Pessoa-PB)
Local: Distrito do Pio X
09/11 - Mostra de Cinema
Local: Sítio Feijão
10/11 - Mostra de Cinema 
Local: Sítio Jurema

BAIRROS 
08/11 - Mostra de Cinema
Local: Bairro do Alto do Jorge
09/11 - “De volta ao Picadeiro” Grupo mambembe Los Iranzi (João Pessoa-PB) – Alto Alegre
Local: Bairro do Alto Alegre
11/11 - Mostra de Cinema 
Local: Conjunto Habitacional

OFICINAS
LOCAL de todas as oficinas: NEXT-UFCG
08/11 – Introdução ao Audiovisual – Carlos Mosca Horário: 9h as 12h e 14h as 17h
09/11 – Dança de salão – Jefferson Xavier Horário: 9h as 12h e 14h as 17h
10/11 – Grafite com Stencil – Antônio Gomes e Samarone Moura Horário: 9h as 12h e 14h as 17h
11/11 – Brincando de ser Brincante – Grupo mambembe Los Iranzi Horário: 9h as 12h.

fonte: Coletivo Calangos Livres

23 de out de 2012

S.O.S. Guarani Kaiowá - o triste fim do povo da Dança das manhãs


Os Indios Guarani Kaiowá, do Mato Grosso do Sul, que lutam há anos pelo direito as suas terras, anunciaram suicidio coletivo por falta de esperança em viver com dignidade depois de terem suas terras ocupadas por latifundiarios.



Leia abaixo a carta pública escrita pelos indigenas:

 "Carta da comunidade Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS para o Governo e Justiça do Brasil 

Nós (50 homens, 50 mulheres e 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, viemos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de da ordem de despacho expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, do dia 29 de setembro de 2012. Recebemos a informação de que nossa comunidade logo será atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal, de Navirai-MS. 

Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, Iguatemi-MS-Mapaignorando os nossos direitos de sobreviver à margem do rio Hovy e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay. Entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio e extermínio histórico ao povo indígena, nativo e autóctone do Mato Grosso do Sul, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça brasileira. 

 A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas? Para qual Justiça do Brasil? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós. Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados a 50 metros do rio Hovy onde já ocorreram quatro mortes, sendo duas por meio de suicídio e duas em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas. 

Moramos na margem do rio Hovy há mais de um ano e estamos sem nenhuma assistência, isolados, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos nossos antepassados. 

Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui. 

Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos. 

Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS. 

 Atenciosamente, Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay"
  
Entenda um pouco sobre a Cultura Guarani Kaiowa, e o conflito com os latifundiarios, assistindo os vídeos Guarani Kaiowá - o conflito da terra - parte I e II abaixo. :

Parte 01

Parte 02

“A nossa dança é o dono das manhãs, 
a nossa dança para nós são coisas boas que ainda temos. 
A nossa dança vai onde vocês estão. 
Para que nossos parentes saibam onde estamos nós que cantamos assim. 
Eu estou contando para que todos ouçam nossos trabalhos. 
Para que meus parentes que vivem em todas as terras saibam que esses cantos vêm dos filhos de Deus. 
Para que todos saibam que essa dança é do nosso dono, nosso grande pai. 
É tudo dele, por isso nós estamos passando aqui. 
Para que ouçam crianças, homens e mulheres. 
Para que saibam e não se preocupem. 
Nós que vivemos aqui na terra, mesmo com dificuldades, lembramos de nosso pai queestá no céu, ele é o nosso rei e o nosso salvador”. 

Depoimento do Cacique Getúlio do Povo (Guarani Kaiowá – Mato Grosso do Sul) extraído do vídeo Guarani Kaiowá – O conflito da terra (Imã Foto Galeria). 
Fotos extraídas da internet
 Assine a Petição de apoio aos Indios Guarani Kaiowá que será entregue a Presidente Dilma. É rápido. Só alguns segundos e você pode salvar muitas Vidas e uma Cultura em extinção. Clique aqui!

16 de out de 2012

Coletivo Couve Flor, de Curitiba, apresenta "Forte" e "Valsa N°6" em São Luis - MA

Para saber um pouco mais sobre o espetáculo "Valsa Nº6", do Coletivo Couve Flor, assista o vídeo abaixo da entrevista concedida a TV Casa de Maitê

 

fonte: Leonarda Glück

SEMANA DESTACA LANÇAMENTOS DE LIVROS EM SÃO LUIS - MA

 CLOWNS DE SHAKESPEARE (RN) APRESENTAM O PROJETO "CARTOGRAFIA DO TEATRO DO NORDESTE"

Com patrocínio do Programa de Cultura BNB - BNDES 2012, o grupo de teatro potiguar Clowns de Shakespeare apresenta o resultado do projeto Cartografia do Teatro de Grupo do Nordeste, um levantamento realizado pelo diretor e pesquisador Fernando Yamamoto, acerca dos grupos de teatro dos nove estados nordestinos. Esse mapeamento gerou dois frutos, que serão lançados concomitantemente. Um deles é uma publicação, dividida em 03 volumes. O outro é o portal teatronordeste, que surge com o objetivo de reunir as informações de todos os grupos pesquisados, funcionando como um espaço de referência sobre o teatro nordestino. 
O projeto Cartografia do Teatro de Grupo do Nordeste visa uma aproximação das experiências e vivências de cada grupo mapeado e o fortalecimento da produção teatral na região Nordeste. Cerca de 110 grupos já foram cadastrados até hoje, com informações relativas à organização administrativa e de gestão, aos processos criativos e a outras atividades realizadas pelo grupo. Os três volumes publicados sobre o mapeamento realizado estão divididos por estados e apresentam um texto escrito por André Carreira, pesquisador e diretor da Universidade do Estado de Santa Catarina. O livro 01 apresenta o quadro de Pernambuco, Piauí e Maranhão; o livro 02, da Bahia, Sergipe e Alagoas; e o livro 03, do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará.  Veja a programação na imagem abaixo:

fonte: Anamélia Cruz Figueiredo



LUTA PELA DESPATOLOGIZAÇÃO DA IDENTIDADE TRANS TERÁ LANÇAMENTO DO LIVRO “VIAGEM SOLITÁRIA"
João W. Nery, conhecido por ser o primeiro homem trans a realizar cirurgia de redesignação sexual no Brasil, estará em São Luís, no dia 18 de outubro para lançamento de seu livro "Viagem Solitária" e participação em debates. O evento integrará a "SEMANA PELA DIVERSIDADE SEXUAL - pela reorganização do movimento LGBT e pela despatologização das pessoas trans" promovido pelo CSP Conlutas, pelo Grupo de Estudos de Gênero - GENI/UFMA e com a poio da Comissão de Direitos Humanos da OAB/MA. 
João W. Nery (62 anos), nasceu e viveu até os 27 anos com um corpo de anatomia feminina. Formou-se em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ em 1973 e lecionou em três universidades (Gama Filho, Hélio Alonso e Celso Lisboa), além de ter mantido um consultório de psicoterapia. Em 1976 frequentou o núcleo liderado pelo Dr. Cesar Nahoum (andrologista) ao qual se submeteu a vários testes e exames, obtendo o laudo de transexual masculino (FTM). Em 1977 se submeteu à uma mastectomia, a uma histerectomia e a uma hormonoterapia (testosterona). É considerado o primeiro transexual homem operado no Brasil. É autor de dois livros auto-biográficos, o primeiro, "Erro de Pessoa - Joana ou João", foi lançado em 1984 pela editora Record em que começa a discutir no Brasil as especificidades da transexualidade masculina. O segundo, "Viagem Solitária - Memórias de um Transexual 30 anos depois", foi publicado pela editora Leya em 2011 e representa uma auto-biografia do autor, em que ele pôde repensar vários aspectos de sua vida olhando para o passado.

Dia 18 de outubro no Sindicato dos Bancários (Rua do Sol, 413/417 - Centro - São Luis - MA)
PROGRAMAÇÃO 
15:30h – Mesa de abertura do evento Representante da CSP CONLUTAS, Representante do GENI (Grupo de estudos de Gênero, Memória e Identidade) – UFMA, Representante da Comissão de Direitos Humanos da OAB - MA, Representante da Defensoria Pública do Estado e Representante do Movimento LGBT. Coordenação: Saulo Arcangeli (CSP CONLUTAS)
15:50 – Exibição de vídeo de 05 minutos sobre a luta pela despatologização das identidades trans 
16:00 - Exibição do documentário premiado “Uma Questão de Gênero” (Direção de Rodrigo Najar (50 minutos) 
17:00h – Mesa – redonda “Sou trans e daí?” Dayana Coelho (CSP CONLUTAS), Dr. Tiago Viana (OAB – MA), Katiuscia Pinheiro (GENI - UFMA), Babalu Rosa (Gupo Solidário Lilás) - a confirmar. Coordenação: Prof. Mestre Antônio Rafael Silva (OAB - MA) 
18:00h – Debate 
19:00h – Conferência de João W. Nery 
19:30h – Lançamento do livro “Viagem Solitária - memórias de um transexual trinta anos depois” de João W. Nery. 
fonte: Rafael Silva e Wikipédia



SANTA IGNORÂNCIA CIA DE ARTES LANÇA O LIVRO “ENTRE O CHÃO E O TABLADO: A INVENÇÃO DE UM DRAMATURGO”.  

A Santa Ignorância Cia de Artes está presente no cenário cultural maranhense desde 1997 e tem como um dos seus princípios artísticos a valorização da dramaturgia produzida no Maranhão e a montagem de textos de seus colaboradores. O livro Entre o Chão e o Tablado: a invenção de um dramaturgo, além de fazer parte das celebrações de quinze anos da companhia, vem tornar público e acessíveis quatro textos entre os mais importantes que já foram montados e criados pelo colaborador, músico, ator e diretor Lauande Aires, além da narrativa dos processos de criação e circunstâncias das montagens. Fazem parte deste livro, as comédias “O Casamento Medieval” e “Nem Que o Diabo não Queira”, o drama “O Miolo da Estória”, e a peça infantil “O Natal dos Pequeninos”. Essa publicação contou com o apoio do SESC – MA e já foi lançada em Macapá, Manaus, Rio Branco, Porto Velho e Belém, por ocasião do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz e projeto de circulação Teatro nos Passos do Boi: no miolo da Floresta. 
LAUANDE AIRES é graduando do curso de Licenciatura em Teatro na Universidade Federal do Maranhão, colaborador do grupo Xama Teatro e diretor da Santa Ignorância Cia de Artes

Local: Galeria do SESC Deodoro (Av. Gomes de Casto, 132 - Centro - São Luis )
Dia: 19 de outubro (sexta feira), às 18: 30h. 
Programação: 
Intervenção teatral com Rosa Ewerton e Léo Alves – Santa Ignorância 
Leitura dramática com Adeílson Santos, Charles Júnior e César Boaes – Santa Ignorância 
Leitura dramática com Gisele Vasconcelos, Renata Figueiredo e Érica Quaglia – Grupo Xama Teatro. Leitura dramática com Luis Ferreira e Nuno Lilah Lisboa – Petite Mort Teatro. 
fonte: Lauande Aires